Alimentação Saudável

Comer um hambúrguer no H3 ou no McDonald’s? Tanto faz, as calorias são as mesmas

A NiT pediu a uma nutricionista para analisar as refeições das duas cadeias. Os resultados são surpreendentes.
Conheça as duas opções.

O cálculo de calorias ingeridas diariamente é uma das estratégias adotadas por quem está em processo de perda de peso. Contudo, nem sempre é fácil saber qual é a opção menos calórica, sobretudo quando a oferta é vasta e as propostas são muito semelhantes. É o que acontece quando nos apetece comer um hambúrguer, por exemplo. Se já hesitou entre duas sugestões bem conhecidas — o H3 e o McDonald’s —, vamos esclarecer as dúvidas.

Com a ajuda da nutricionista Cátia Gomes, tentámos perceber qual seria a melhor opção. A escolha da profissional recaiu sobre duas propostas com ingredientes similares: o cheeseburguer, do McDonald’s, e o hambúrguer cheese, do H3. 

Comparando as duas opções, “com porções individuais semelhantes”, os resultados são bastante díspares. “Relativamente ao valor calórico total, o cheeseburguer (McDonald’s) tem 306 calorias e o cheese (H3) tem 464 calorias”, adianta a especialista em nutrição que exerce no Hospital Pedro Hispano, no Porto. 

Considerando as fichas nutricionais de ambos, de forma mais abrangente, a conclusão é semelhante. “Em termos calóricos, o hambúrguer do McDonald’s tem menos calorias, menos sal, menos gordura. Enquanto o do H3 tem menos hidratos e mais proteína.”

Após considerar o perfil nutricional de cada um, Cátia Gomes não tem dúvidas sobre a principal diferença entre os dois. “Comparando assim à primeira vista, consideraria a opção do McDonald’s mais equilibrada, tendo em conta os principais hábitos de alimentação saudável, como o menor teor de sal.” Porém, a nutricionista sublinha que se trata de uma avaliação superficial, e que para determinar o impacto de determinado prato na dieta, é necessário olhar para outros parâmetros. “Teríamos que analisar a origem dos ingredientes para melhor escolhermos qual a melhor opção”, reforça.

No que toca a estas características, a proposta do H3 fica melhor na fotografia. “Tendo em conta que se tratam de produtos de origem menos artificial, o cheese parece-me ser uma opção nutricionalmente mais interessante e equilibrada. Apesar disto, deveriam apostar na redução do teor de sal para o tornar ainda mais saudável.”

Seja qual for a sua escolha, a nutricionista Lia Faria sublinha que a importância de fazer uma alimentação saudável, ou seja, “respeitar e suprir as necessidades individuais, com alimentos variados do ponto de vista de qualidade e de quantidade”.

A profissional, que disponibiliza consultas online, sublinha ainda outro ponto de extrema importância: “Em processos de emagrecimento é fulcral existir um balanço energético negativo, ou seja, o plano alimentar deve promover um consumo energético menor do que o próprio gasto energético”. No fundo, a mensagem é simples: se estiver a consumir mais calorias do que as que gasta, não vai perder peso. 

Lia Faria enaltece uma questão fundamental, que pode ajudar quem não sabe o que escolher quando lhe apetece comer um hambúrguer: “Mesmo estando a tentar emagrecer e considerando que nas restantes refeições se cumprem os princípios de uma alimentação saudável, porque é que há necessidade de se privar do McDonald’s, optando pelo H3, quando as opções são equivalentes a nível calórico?”.

A regra que dita o sucesso de uma perda de peso é simples: o equilíbrio. Ou como diz o ditado: tudo com conta, peso e medida — fast food incluída.

O H3 abriu o primeiro restaurante a 7 de julho de 2007, no centro comercial Monumental, em Lisboa. Neste momento conta com 57 espaços espalhados pelo País. Já o McDonald’s surgiu em 1940, na Califórnia, como um drive-in. Chegou a Portugal em 1991, mais especificamente ao CascaiShopping. Atualmente já conta com mais de 200 restaurantes no continente e ilhas.  

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT