Alimentação Saudável

É capaz de comer uma caixa inteira de chocolates? Há algo de errado na sua vida

A health coach Susete Estrela explica a relação entre as emoções e os alimentos no seu novo livro "A Roda da Felicidade".
Woman eating chocolate

“A culpa não é dos doces, porque os doces são os mesmos no supermercado e há pessoas que os comem todos os dias. E depois há quem só os coma uma vez por mês. Mas será que a culpa é dos doces”? A citação é do novo livro da health coach Susete Estrela, “A Roda da Felicidade”, que tenta explicar porque é que as nossas emoções estão relacionadas com a alimentação e, em consequência, com o peso. 

Susete deixa mais duas perguntas relevantes: “Será que a culpa é da indústria? Ou será das emoções bloqueadas desde a infância?” Estas dúvidas ficam nas nossas cabeças sobretudo porque não damos muito valor a estas emoções ou nem nos apercebemos de que existem. Em Portugal, até usamos a expressão ‘deita isso para trás das costas’ para desvalorizar os nossos sentimentos negativos. 

Como é que estes bloqueios emocionais se podem manifestar? “Quando ataco um doce, na verdade, aquilo de que preciso é de um abraço”, explica Susete Estrela à NiT. Segundo a especialista, quando dizemos que alguém é doce, queremos é o conforto desse amor: “A alimentação é a segunda forma de amor. A primeira é quando estamos na barriga da nossa mãe onde tudo é maravilhoso e confortável. É por essa razão que quando estamos tristes, temos tendência para nos debruçarmos e ficarmos em posição fetal.”

A comida, além de funcionar como um sedativos emocional, faz-nos realmente sentir bem. “Dá prazer imediato, mas depois tem consequências.” Licenciada em engenharia alimentar, Susete Estrela afirma que há muito mais a saber sobre os alimentos do que aquilo que os rótulos nos dizem. A obesidade não tem a ver com o excesso de consumo calórico, mas com a composição dessas calorias. Quando somos crianças dizem-nos, muitas vezes, que temos de comer para crescermos grandes e fortes — e, no nosso subconsciente, associamos a comida à força. Em consequência, “quando sofremos uma perda emocional, é natural que, inconscientemente, se tente ir buscar essa força aos alimentos”, explica Susete. Não tendo uma atividade física regular, o maior consumo de alimentos pode provocar aumento de peso porque o corpo não consegue gastar as calorias ingeridas. 

Isso significa que as pessoas que comem uma caixa inteira de chocolates têm algum tipo de bloqueio emocional? “Há pessoas que são efetivamente gulosas. Uma pessoa gulosa come um ou dois chocolates. A caixa inteira, não. Se sente necessidade de comer a caixa inteira de chocolates, vou ter de perguntar: ‘Sente que lhe falta doçura na vida? O que é que está tão amargo no seu dia a dia que precisa de compensar com o sabor doce?’ Neste momento, às vezes, as pessoas desmancham-se a chorar porque ninguém se lembra de lhes fazer este tipo de perguntas”, conta à NiT.

Uma forma de contornar isto é tentar descobrir — recorrendo a ajuda especializada, por exemplo — quais os bloqueios emocionais que nos estão a impedir de perder peso, e que nos levam a comer uma caixa inteira de chocolates. Segundo Susete, a medicina já nos revelou que as emoções contribuem decisivamente para o nosso bem-estar físico: alguns estudos alertam mesmo para a relação entre os bloqueios emocionais e a origem de alguns cancros. 

O novo livro “A Roda dos Alimentos” foi publicado pela editora Arena PT e chegou às bancas no dia 24 de Agosto. Custa 16,60 euros.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT