Alimentação Saudável

É fã de skyr? O queijo quark do Lidl é um excelente substituto (e só custa 0,59€)

Diz-se que o skyr é um iogurte, mas na verdade é um queijo. Uma opção para quem quer ingerir proteína e poupar na carteira.
Um dos produtos que pode usar no pós-treino.

Quando se trata de alimentação saudável é frequente ouvirmos falar da importância de começar o dia a ingerir proteína (algo recomendado a todos os que treinam de manhã com o objetivo de desenvolver a massa muscular). O ideal é que esta seja proteína seja nutricionalmente densa e fácil de comer sem necessitar do tempo de preparação que a carne, peixe ou ovos normalmente requerem.

Uma das formas preferidas de o fazer para muitos é através do consumo de skyr e quark. Mas qual a diferença? Enquanto os skyr são normalmente consumidos como iogurtes (e têm, muitas vezes, sabores de frutas), os quark são denominados de queijos (e podem ser usados para barrar pão ou bolachas).  Apesar das diferenças na apresentação, ambos são queijos e os processos de preparação não são muito diferentes — e têm um sabor mais azedo que os iogurtes comuns.

Para os fãs, falar de skyr sem mencionar o Lidl tornou-se impensável. Esta cadeia de supermercados tem as opções mais baratas quando se trata de produtos com elevados valores de proteína. Apesar do sucesso do skyr, há outro produto que tem passado despercebido dos consumidores, mas que pode ser a solução mais barata para um snack pós-treino. “O queijo quark é um excelente substituto ao skyr”, diz a nutricionista Cátia Gomes à NiT.

Enquanto os skyr já são vendidos em doses individuais (entre 100 a 125 gramas), o quark é vendido em embalagens de 200 gramas a meio quilo e , tal como o primeiro, também pode ser ingerido com granolas, frutas ou manteigas de amendoim, por exemplo. No entanto, há que ter atenção às dosagens — não deve comer uma embalagem inteira de quark de uma só vez.

Segundo a FVP Foods, o preparo tradicional do quark “consiste em aquecer-se leite azedado (acidificação por fermentação láctica) até que se chegue ao nível desejado de coagulação das proteínas. A substância resultante deste processo é então torcida para eliminar os líquidos.” Este tipo de queijo possui mais de 73 por cento de água na matéria não gorda, por isso, é considerado um queijo cremoso.

“O queijo quark será uma melhor opção que o skyr porque tem mais vitaminas, minerais e não sofre adição de sal ou açúcar”, aconselha a nutricionista. E o queijo quark não tem caseína. “No pós treino será mais interessante ingerir uma proteína de absorção mais rápida como a proteína whey, mais presente no queijo quark.”

O queijo quark do Lidl custa apenas 59 cêntimos e costuma estar disponível em todos os supermercados, ao contrário dos skyr ou pudins proteicos — que são mais caros e esgotam facilmente. 

O queijo quark tem mais proteína e menos gordura que outros tipos de queijo.

O skyr tradicional é feito a partir do aquecimento de leite magro até ficar à superfície a caseína e a gordura. Depois adiciona-se skyr antigo para iniciar a fermentação e, se a textura não estiver espessa o suficiente, junta-se ainda coalho animal. O leite é depois coado, eliminando-se a parte líquida. Obtém-se então um produto azedo e espesso, em tudo parecido ao quark. “O skyr tem caseína e é mais interessante ser ingerido antes do treino”, afirma a nutricionista.

Após o treino, o principal objetivo da refeição é fazer uma recuperação do tecido lesado e fazer uma hidratação, logo “ingerir uma proteína whey com água seria bastante interessante. Mas ingerir um quark e beber água teria quase o mesmo impacto”, explica a nutricionista.

“Os queijos quark e skyr são excelentes alimentos para aumentar o peso e a massa muscular de pessoas que treinam regularmente. Se estiver num processo de perda de peso, o consumo destes queijos pode comprometer os resultados”, adverte Cátia Gomes.

Em termos nutricionais, o quark tem mais teor de proteína por 100 gramas que a maioria dos skyr naturais, além de menos hidratos de carbono e lípidos.

Carregue na imagem acima para conhecer os dez melhores iogurtes do mercado. Os critérios foram o equilíbrio nos níveis de açúcar, gordura e riqueza em proteína.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT