Alimentação Saudável

Há um novo pudim proteico no mercado que ajuda a manter a saciedade

É feito à base de semolina e tem um baixo teor de gordura. Está disponível em dois sabores: chocolate e caramelo.
A proteína é essencial para o dia a dia.

Não há dúvida: os pudins proteicos tornaram-se num dos snacks favoritos de quem passa horas a treinar. Além do elevado teor de proteína, não contêm açúcares adicionados e são tão saborosos que acabam por substituir uma sobremesa no final da refeição.

Várias cadeias já lançaram a sua própria versão deste produto, mas recentemente, no final de maio, o Pingo Doce — através da linha Go Active — lançou uma nova proposta que vale a pena experimentar. 

Está disponível em dois sabores, chocolate e caramelo, e é feita à base de semolina, um ingrediente que promete ser o seu melhor aliado na perda de peso. Resulta da moagem parcial dos grãos de trigo ou de milho e neste caso, uma vez que a tal moagem não é completa, acaba por preservar o seu endosperma, um tecido de armazenamento de nutrientes que está presente em muitas plantas.

Na sua composição, a semolina tem mais fibras por 100 gramas quando comparada a outras farinhas mais refinadas e consequentemente, um índice glicémico mais baixo, sendo a sua velocidade de absorção intestinal um pouco mais lenta. 

Há também o sabor de chocolate.

Dadas as características do novo pudim proteico do Pingo Doce, a nutricionista Bárbara Plácido, considera que se trata de uma boa opção para o dia a dia. “São uma fonte proteica de fácil acesso, uma vez que são facilmente transportáveis e consumíveis em qualquer lugar, o que pode, por uma questão de conveniência, facilitar a ingestão total diária de proteína necessária”, começa por referir a especialista.

“Além disso, devido ao seu elevado teor proteico, proporcionam uma sensação de saciedade elevada, o que também é muito importante. Contam ainda com um baixo teor de gordura e açúcares, tendo na sua composição apenas os açúcares naturalmente presentes.”

Cada embalagem tem 200 gramas e custa 0,99€. Por 100 gramas tem 79 calorias, 8,7 gramas de hidratos de carbono, das quais 4,7 são açúcares, 0,2 gramas de fibra, 202 miligramas de fósforo e 182 miligramas de cálcio.

Segundo Bárbara Plácido, embora este tipo de propostas sejam populares ao lanche, podem ser consumidas a qualquer altura do dia, “uma vez que a ingestão diária de proteína deverá ser fracionada pelas diversas refeições”, acrescenta Bárbara Plácido.

Outra das mais-valias destes pudins é a possibilidade de serem usados como ingredientes em sobremesas, para as tornar mais saudáveis. “Podem ser usados para fazer uma baba de camelo proteica. Basta bater claras de ovo em castelo e, a seguir, envolver um pudim de caramelo lentamente. No final é só polvilhar com bolacha Maria sem açúcar. Relativamente ao pudim de chocolate, se também o envolver em claras de ovo batidas em castelo, irá obter uma mousse de chocolate proteica, deliciosa e muito fácil e preparar.”

Ainda assim, Bárbara Plácido alerta que não deixam de ser produtos com algum grau de processamento, pois possuem corantes, espessantes, edulcorantes, entre outros. Dessa forma, não devem ser consumidos de forma desenfreada, mas sim com algum controlo.

Carregue na galeria e conheça outros pudins proteicos de diferentes marcas.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT