Alimentação Saudável

A nova bebida vegetal de ervilha amarela que promete revolucionar o mundo

O mercado das bebidas sem proteína de origem animal continua a crescer — e conta com uma curiosa novidade.
Vem aí a Wunda.

Com certeza que já se apercebeu de que há cada vez mais alternativas ao leite. Já estamos na fase em que não falamos apenas de uma tendência mas de algo que já encontrou o seu espaço no mercado e à mesa.

A verdade é que são opção não apenas para quem é vegan ou tem alguma forma de intolerância ao leite, mas para qualquer pessoa que procure alternativas, em termos de se sabor e nutrientes. A ervilha é o tipo de legume que não precisa de apresentação à mesa dos portugueses. Já a ervilha amarela começa agora a mostrar-se.

A ligação das ervilhas à alimentação dos seres humanos vem de há muito tempo. Acredita-se que terá sido mesmo dos primeiros alimentos que os nossos antepassados aprenderam a cultivar. Por cá as ervilhas que melhor conhecemos são verdes mas noutros cantos da Europa a ervilha amarela há muito que está na ementa.

O que está presente em poucos países e vai agora chegar cá, é a Wunda, uma bebida vegetal à base de ervilha amarela que é a mais recente aposta da Nestlé.

Portugal junta-se à França e Holanda como países onde esta aposta irá começar. Depois, as três gamas existentes (a original, sem açúcar e com chocolate) farão o seu caminho até outros países europeus.

A bebida vegetal vai poder ser usada em café, pode juntar a uma sopa a uma série de diferentes receitas, nomeadamente de bolos. Segundo avançou o “Dinheiro Vivo”, o produto vai estar à venda nos supermercados. Ainda na última semana de maio vai estar disponível na última semana de maio nas lojas alimentares do grupo Sonae, dona do Continente.

À NiT, a nutricionista Ana Leonor Perdigão explicou recentemente que uma das vantagens da ervilha amarela é que pode ser “usada como base para bebidas vegetais porque não tem cor verde, nem transfere o tal ‘sabor a ervilha’.”

As ervilhas em geral “fazem parte do grupo das leguminosas como o grão de bico, feijão e favas, tudo alimentos muito presentes na gastronomia Mediterrânica”. A vantagem da ervilha amarela em particular é que “é mais suave e parecida a um cereal em comparação com as ervilhas verdes. Esta característica deve-se ao facto de a ervilha amarela conter menos clorofila do que a verde, que é o pigmento que lhes é habitualmente associado.” Tem ainda quantidades relevantes de minerais como cálcio, ferro, magnésio, selénio e vitaminas como o ácido fólico.

À textura suave junta-se o alto teor de proteína e fibra, o que a torna um dos alimentos a ter em conta num tempo em que os consumidores procuram também cada vez mais alternativas. Uma delas é o lado sustentável. E também aqui a ervilha amarela poderá destacar-se, já que necessita de menos água para ser produzida, quando comparada com outros alimentos.

A ervilha amarela.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT