Alimentação Saudável

Nuno Azinheira: “Há algo que diz que não quero chegar àquela idade e ter estes problemas”

O antigo jornalista e comentador do “Passadeira Vermelha” tem um novo projeto “para toda a gente”.
O peso é um desafio desde que era criança.

Há momentos na nossa vida em que as coisas se conjugam. Há o que já aprendemos do passado e o que nos preocupa no futuro. Há o que somos na nossa vida pessoal e a nossa experiência profissional.

O comentador Nuno Azinheira está a atravessar uma dessas fases. E não poderia estar mais motivado. Este ano de 2021 tem sido de um desafio especial na sua luta contra o peso. Não é algo único na sua vida, longe disso. Mas é o tipo de batalha que sente estar a vencer. E que é a oportunidade perfeita para fazer algo que não é só para si.

“Sou daqueles tipos que já passou as fases todas. Já fiz ao longo da minha vida várias dietas, já perdi muitos quilos, já as recuperei, conheço aquele registo ‘iô-iô’, que é a vida de muitos obesos”, afirma.

À NiT, Nuno conta que tinha excesso de peso já desde os 6 anos de idade. Foi algo que se prolongou na adolescência e que o acompanhou pela vida adulta. Os anos de excesso de peso trouxeram outros desafios para a saúde, como diabetes tipo 2, hipertensão. Mas há algo a mudar. E não falamos apenas dos 17 quilos e 25 centímetros de barriga a menos que revelava recentemente nas suas redes sociais.

“O que difere o momento em que estou dos anteriores é que estou num momento de estabilidade profissional, emocional”, conta-nos. Aos 46 anos, a maturidade também é outra e aqui entram outras preocupações com a saúde. São os desafios de quem tem próximo, já mais velho, e o perceber o que não quer para isso.

“Há qualquer coisa cá dentro que diz que não quero chegar àquela idade e ter estes problemas”. Há 10 meses, recorda, iniciou um processo que espera que seja “derradeiro, no sentido de ser aquele que de facto vai resolver certos problemas” que sempre teve com o peso. Pelo meio, juntou-lhe outro desafio que andou a preparar nos últimos quatro meses.

“Escolher Viver” é a nova plataforma lançada por Nuno Azinheira. Tem estado em desenvolvimento e foi lançada oficialmente a 20 de setembro. O nome do projeto inspira-se na primeira hashtag que usou quando começou a contar, a quem o acompanhava online, as escolhas mais saudáveis que ia fazendo.

Agora, junta tudo isso num projeto onde é acompanhado por PT’s, nutricionistas, mas também pro organizações e profissionais da área da saúde. Há artigos que procuram ser informativos mas também crónicas que refletem algo que encontramos também nos seus textos: a honestidade de alguém que enfrentou este tipo de problemas a escrever na primeira pessoa.

“Há muita gente que diz que para perder peso basta fechar a boca. Não é verdade. É um disparate. Se calhar até dá para quem quer perder uns poucos quilos para ficar bem num biquíni. Mas para quem tem 20, 30, 40 quilos para perder, isso não basta”. O seu novo projeto também tenta refletir isso, mas não só.

“Sou um tipo que precisa de validação pública, precisa de partilhar o compromisso”, confessa. Não é uma questão de vaidade. Para o projeto propriamente dito, também não é uma questão de marcas, de nomes, de maior ou menor atenção. É mesmo um “compromisso público” com dois sentidos: o que dá a quem o segue, mas também o que ele próprio retira desse assumir público de um desafio.

Não é o primeiro projeto nesta onda do antigo jornalista. Em 2016 já tinha tido um blogue sobre a diabetes, intitulado “Tipo 2”. O projeto demorou alguns meses mas chegou a ter mais de 20 mil leitores. “Ainda hoje recebe mensagens relacionadas com o ‘Tipo 2”’”, conta.

O projeto não é um blogue mas também não é uma redação no sentido tradicional. Nuno é o elo de ligação mas o “Escolher Viver” é um espaço para dar voz a diferentes figuras. Procura-se ter tanto o lado de informação mais correta, com PT’s nutricionistas e informação médica. Mas há também um lado pessoal, do próprio Nuno e de quem partilha os seus desafios.

Uma das crónicas habituais será um “diário de uma ex-obesa”. Um outro, que será escrito sob pseudónimo, é a história de alguém que luta há 20 anos contra o vício do açúcar. “Acho que há muita gente que se vai rever neste tipo de crónicas”, diz-nos.

As mesmas redes sociais onde abundam dietas da moda e exemplos expectativas irreais pode ser também um espaço diferente. É a tal ideia de comunidade e, correndo tudo bem, o projeto vai poder prolongar-se de outras maneiras. Workshops, corridas, encontros são alguns dos projetos em mente.

O projeto ainda está na fase inicial mas o o feedback tem sido ótimo. E não apenas pelos elogios que chegam de fora. É também pela experiência de aprendizagem.

“Quando comecei a contactar instituições, médicos, não estava à espera que recetividade fosse tão grande”. Mas foi. “Ao contrário do que algumas pessoas, a comunidade médica está muito aberta este tipo de ideias de literatura em saúde”.

A sua luta por um estilo de vida mais saudável continua e não está nos planos abdicar dessa. A ideia é simples: criar algo que não seja apenas para ele mas também para outras pessoas. E não apenas para quem já se debateu ou se debate com o excesso de peso. “É mesmo um site para toda a gente”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT