Alimentação Saudável

O erro básico que comete todos os dias — e que não o deixa emagrecer

A nutricionista Sónia Marcelo, autora do blogue “Dicas de Uma Dietista”, explica tudo.
Leia com atenção.

Decidir emagrecer é mais fácil do que sairmos da cama numa manhã fria. Já saber como fazê-lo é uma tarefa um pouco mais complicada. Porém, a solução mágica está à disposição de todos: comer de forma saudável, fazer exercício físico e dormir bem — não se esqueça desta última, que tantas vezes é ignorada.

Mesmo assim, os resultados não aparecem? Muito provavelmente, está a errar nas coisas mais básicas. Por exemplo, pode estar a ingerir mais comida do que aquela de que realmente precisa. 

“Possivelmente, come seis bolachas em vez de três porque dizem que são integrais, três muffins em vez de um porque são de aveia e  um abacate na salada porque é saudável, mais as sementes e o azeite”, diz à NiT a nutricionista Sónia Marcelo, que alerta que comer saudável não dispensa moderação.

Querer mudar de um dia para o outro também é um dos maiores erros que pode cometer. Se não comia de forma saudável nem pratica exercício físico, não deve passar desse cenário para um em que se compromete a treinar os sete dias da semana e a comer tudo o que é saudável sem orientação.

“Não vai resultar porque não se vai consolidar os hábitos, nem criar rotinas. Apenas se quis implementar tudo de repente”, destaca a também autora do blogue “Dicas de Uma Dietista”.

Ainda assim, um dos erros mais cometidos nos últimos anos está relacionado com uma mudança nos produtos alimentares. Quantas vezes não encontra embalagens que destacam que os produtos são “magros”, “light”, “integrais”, “sem açúcar” ou “dietéticos”? Ao ler isso, provavelmente, já nem lê o rótulo. Mas devia.

Muitos destes produtos têm outros ingredientes que não ajudam em nada o processo de emagrecimento, sendo que a especialista destaca as barras de cereais, os cereais e granolas e as bolachas.

Quando falamos em alimentos light, por exemplo, significa que houve uma redução de pelo menos 30 por cento num dos nutrientes e não de todos. Ou seja, o facto de ter sido reduzido o teor de açúcar não quer dizer que não tenha gordura (e vice-versa).

Aliás, geralmente, “um produto com menos açúcar tem mais gordura e é por isso que mantém um sabor agradável”, diz à NiT Sónia Marcelo.

Um alimento light não é menos calórico. De acordo com a especialista, podem até ter um valor calórico superior ao do produto original, devido ao facto de terem sido aumentadas as quantidades de alguns ingredientes. Lembre-se disto: quando se tira de um lado, põe-se do outro. 

Não é um mal geral, também há alguns produtos light em que pode confiar. É o caso do queijo fresco magro ou light, da manteiga magra ou da gelatina com zero por cento de açúcar. Porém, não há melhor truque do que analisar o rótulo dos alimentos.

De qualquer forma, para ajudar, carregue na galeria e descubra os alimentos light nos quais, segundo a nutricionista, não deve confiar.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT