Alimentação Saudável

O lado bom (e o inconveniente) das sementes de sésamo

Se já as inclui na dieta, faz bem. Se ainda não o faz, saiba o que pode ganhar com isso (mas também o que deve ter em conta).
Seja criativo.

As sementes já há muito que deixaram de ser coisa da moda. São super versáteis e ricas em nutrientes, apesar do seu pequeno tamanho. Razão pela qual vieram para ficar. O que não quer dizer que não tenham inconvenientes.

As sementes de sésamo, também denominadas de gergelim, são sementes originalmente provenientes da cozinha do Médio e Extremo Oriente . Embora pequenas, são consideradas de elevada densidade nutricional.

Contam com propriedades antioxidantes, contam gorduras insaturadas, as chamadas “boas” gorduras, são fontes de fibras, cálcio, magnésio, ferro, fósforo, vitamina B1, zinco e até podem dar uma ajuda na redução da pressão arterial, na redução da resistência à insulina. Há até estudos que sugerem que podem contribuir para aumentar a quantidade de espermatozoides em homens inférteis.

As sementes de sésamo podem ser adquiridas com casca ou sob a forma de semente descascada, na sua forma natural ou tostadas e ainda com ou sem sal (e aqui vale sempre a pena lembrar que é preferível sem sal).

À mesa, têm sempre margem para criatividade. Pode juntar num iogurte ou numa salada, pode usar numa qualquer receita, seja um refogado, uma sopa ou até juntar a algum snack caseiro, como granola. É também a partir dela que se obtém a pasta de sésamo, também conhecido como tahine, perfeito para fazer húmus.

As sementes de sésamo são o tipo de opção que pode começar a juntar à sua dieta. O consumo regular pode trazer benefícios mas nestas coisas é importante nunca esquecer que, em excesso, também tem inconvenientes. E isto acontece com a generalidade das sementes.

Sobre as sementes em geral, a nutricionista Maria Gama já explicara anteriormente à NiT que “são uma fonte de gordura, sobretudo, de origem insaturada e o seu conteúdo de fibras e proteína ajuda a manter a saciedade ao longo do dia. O único problema, alertava, “está nas calorias”.

Como são bastante calóricas, o seu consumo deve ser limitado. Há quem sugira uma porção máxima de 15 gramas diárias mas nestes casos o ideal poderá ser mesmo contar com a opinião de um especialista em nutrição. É que sendo pequenas podem ser enganadoras.

Composição (por 100 gramas)

— Calorias: 595;
— Gordura: 51,8 gramas;
— Hidratos de carbono: 3,2 gramas;
— Açúcar: 1,2 grama;
— Fibra: 11,5 gramas;
— Proteína: 23,1 gramas.

Como vimos, as sementes de sésamo têm o tal inconveniente calórico se não forem bem doseadas. Se ainda tem dúvidas, a nutricionista Maria Gama dá uma ajuda. Carregue na galeria e descubra os seis tipos de sementes mais calóricos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT