Alimentação Saudável

O óleo de girassol está a ser racionado: saiba como o substituir de forma saudável

Além de prejudicial à saúde, a sua compra está a ser fortemente limitada. A nutricionista Sónia Marcelo aconselha outras opções.
Há opções mais saudáveis no supermercado.

O consumo de gordura é fundamental para diversas funções do nosso corpo. Este nutriente, a par com a proteína e os hidratos de carbono, são fonte de energia para o organismo. O problema é saber escolher as fontes certas. Os óleos são uma das gorduras que mais consumimos diariamente, porque são um dos ingredientes mais comuns dos alimentos processados. Devem ser evitados. Como já foi noticiado, o óleo é um dos derivados dos cereais que está a desaparecer das prateleiras dos supermercados, devido à guerra que se instalou na Ucrânia. Esta é, portanto, uma boa altura para substituir o óleo, por opções mais saudáveis. A nutricionista Sónia Marcelo dá uma ajuda.

O óleo de cozinha, em geral, não faz bem à saúde: engorda, aumenta os níveis de colesterol, multiplica o risco de desenvolvimento de células cancerígenas e doenças cardíacas, causa inflamações no organismo, entre muitos outros problemas. Usado na confeção de imensas receitas tradicionais, o óleo de girassol (que Portugal importa da Ucrânia) está a começar a ser racionado em algumas superfícies. Também a venda de óleos alimentares gerais (de mistura, que podem conter óleo de girassol) está a ser limitada. Esta medida está a ser aplicada de forma transversal a todas as marcas, “num racionamento que irá durar até ao final de março”, explicam as cadeias de hipermercados.

Quais são, então, as alternativas? Antes de explicar como os podemos substituir, a nutricionista Sónia Marcelo alerta que estes óleos produzem substâncias químicas, tóxicas e altamente nocivas quando aquecidos. Costumam conter, ainda, gorduras saturadas, que são bastante prejudiciais à saúde, e ácidos gordos que, em excesso, estão associados à obesidade, diabetes e a doenças do coração. Segundo a especialista em nutrição e autora do blogue “Dicas de uma Dietista”, existe uma alternativa melhor e tipicamente portuguesa para confecionar os alimentos. “O azeite é uma fonte de gordura saudável pela sua riqueza em ácidos gordos monoinsaturados e antioxidantes.”

E para os doces? Alternativas também não faltam. Existem pelo menos duas opções muito mais saudáveis, garante a nutricionista. “A curgete e o iogurte grego natural são duas opções mais saudáveis para as receitas que requerem óleo”. A curgete, “devido à água que tem, cria humidade na massa e deixa-a mais fofa — que é uma das funções do óleo”, lembra. O iogurte grego natural, além de criar humidade como a curgete, tem natas e acaba por conferir cremosidade”, explica.

Outra alternativa é optar por preparar os alimentos numa fritadeira de ar quente. Se não consegue abdicar dos fritos, esta é uma excelente opção. “Os alimentos são fritos ou assados no aparelho graças a uma espécie de hélice interna que gira a alta velocidade e faz com que o ar fique muito quente. Os alimentos em contacto com este ar quente ganham uma camada superficial crocante que lhes dá um aspeto parecido à fritura”, explica à NiT Sónia Marcelo.

Aproveite e carregue na galeria para descobrir alimentos que são boas fontes de gordura e que podemos consumir com moderação.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT