Alimentação Saudável

O pão proteico de marca branca que se está a tornar no novo fenómeno do mundo fitness

A alternativa rica em proteína está à venda no Pingo Doce e acaba por ficar mais barato os tradicionais das padarias.
Há opções em conta.

O pão é visto como o maior inimigo de quem quer perder peso. Porém, excluí-lo da alimentação não é uma decisão que a  maioria dos portugueses tome de ânimo leve. A alternativa é optar pelas opções mais saudáveis. Uma das mais recentes é o pão proteico.

É uma boa alternativa para começar o dia a ingerir proteína, sobretudo para quem treina de manhã com o objetivo de desenvolver a massa muscular. E acaba por ser mais prático de comer, permitindo que até tome o pequeno-almoço a caminho do ginásio.

As fatias de pães proteicos acabam por ser uma forma simples de tomar um pequeno-almoço ou lanche com muita proteína. Basta trocar o típico pão branco por uma versão proteica e conseguimos aumentar substancialmente o teor deste nutriente em cada refeição.

As tradicionais bolinhas são feitas com farinha refinada, têm menos fibras e um índice glicémico elevado. Enquanto a alternativa proteica prefere ingredientes ricos em proteína, como a farinha de trigo, de soja ou ervilha. Porém, isto significa, segundo a nutricoach Sónia Marcelo, que na sua composição poderá ter glúten, que “é a proteína dos cereais”. No fundo, a diferença entre ser uma desgraça ou uma bomba saudável para a saúde está nas suas mãos.

O consumo proteico é importante por várias razões, sendo que se destaca o seu poder na saciedade: “É importante sentirmo-nos saciados e não estarmos sempre com sensação de um vazio”, lembra a especialista em nutrição. A proteína não só é importante para o aspeto físico tonificado que muitas pessoas procuram. “É fundamental para a nossa longevidade, funcionalidade e autonomia”. E a sensibilização para estas vantagens é o que motiva a grande procura por produto ricos neste nutriente.

“Este pão pode ter várias vantagens, mas não é recomendado para o consumo diário”, diz categoricamente Sónia Marcelo. E explica porquê: “Quem consome este género de produtos associa-o a dieta e a restrição e pode desenvolver uma má relação com os hidratos de carbono, quando estes são um nutriente necessário na nossa alimentação”. E continua: “Estas opções são ricas em conservantes e aditivos, ou seja, são produtos extremamente processados e industrializados, o que significa que acabam por não ser assim tão benefícios  para o organismo, sobretudo numa base diária”.

A especialista em nutrição destaca ainda que é possível conseguir a dose recomendada de proteína através de outros alimentos. “Ao pequeno almoço se preferirmos ovos mexidos ou um skyr natural é capaz de ser mais vantajoso”, refere a nutricoach.

O pão proteico de marca branca que se está a tornar no novo fenómeno do mundo fitness

Ainda assim, se quiser experimentar este tipo de pão, já existem várias alternativas no mercado. Contudo, é preciso escolher bem. Nem todas as versões são igualmente interessantes do ponto de vista nutricional. A nutricionista Sónia Marcelo lembra que deve sempre analisar o rótulo das embalagens.

O Pingo Doce não ficou de fora desta grande tendência dos alimentos proteicos e lançou a linha “Go Active”, com várias propostas baixas em gordura e ricas em proteína. Entre elas, destaca-se o pão de forma proteico. Por 100 gramas tem 16 gramas de proteína, 232 calorias e 0,50 gramas de açúcar. Cada embalagem tem 360 gramas e custa 2,29€.

Esta é apenas uma das várias opções de pães proteicos à venda nos supermercados nacionais. Carregue na galeria para conhecer mais algumas opções e os respetivos preços.

 

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT