Alimentação Saudável

Os calendários do advento não são todos iguais — estes 21 estão carregados de açúcar

Dezembro é um mês de excessos alimentares e é escusado piorar a situação com esta guloseima diária, aparentemente inocente.
Os miúdos deliram.

Invadem os supermercados nos primeiros dias de novembro e tornam as idas às compras com os miúdos em verdadeiros desafios de resistência para muitos pais. A par dos brinquedos, os calendários de chocolate aparecem por todo o lado e não há corredor onde não os encontremos. É uma tortura. A meio da lista de compras já não podemos ouvi-los a pedir uma daquelas embalagens coloridas, repletas de desenhos alusivos à época.

Os famosos cronogramas natalícios repletos de surpresas tiveram origem nos Luteranos alemães — uma das principais igrejas cristãs do mundo — que, até ao início do século XIX, faziam a contagem até à véspera de Natal com riscos com giz na porta. Ao longo do tempo, a tradição passou a ser acender uma vela e, em 1851, foi impresso o primeiro calendário com várias figuras.

Atualmente, quase todas as marcas têm as suas próprias versões. A Rituals, a The Body Shop, a Super Bock e até a Satisfyer são apenas algumas das insígnias que apostaram neste conceito, com diferentes produtos para descobrir diariamente, da maquilhagem à cerveja. No entanto, os mais comprados (e apreciados) são os que escondem chocolates atrás das adoráveis portas ou janelas.

O problema é que não são propriamente saudáveis. Porém, a nutricionista Lia Faria admite que podem ser uma solução interessante “para quem tem dificuldade em limitar a ingestão de chocolate nesta altura do ano, uma vez que as porções estão controladas”. Mas, isso não significa que deva comer os 24 de uma vez.

Ainda assim, deve escolher uma proposta com um baixo teor de açúcar e o resto do dia deve ser marcado por “opções equilibradas e saudáveis”.

Para o ajudar a fazer a contagem decrescente para o Natal de forma mais saudável, a NiT pediu à nutricionista Lia Faria para criar um ranking com as piores opções à venda nos supermercados.

Entre as 21 propostas analisadas há uma que destaca pela negativa: tem 69 gramas de açúcar por cada 100 gramas de chocolate. “Mais de metade do produto é açúcar”, explica. Uma quantidade que equivale a 15 daqueles pacotes que costumam acompanhar o café.

Carregue na galeria e conheça os piores calendários do advento à venda nos supermercados, com base na quantidade de açúcar.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT