Alimentação Saudável

Será que o jejum intermitente é assim tão mau?

É um dos métodos mais populares na perda de peso e também dos mais polémicos. A NiT diz-lhe tudo o que precisa de saber sobre ele.

Vamos desvendar o mistério.

Antigamente comia-se o que havia e quando havia — era quase um jejum intermitente. Atualmente, há quem recorra a isso para perder peso e melhorar a saúde. São vários os estudos que revelam que o jejum intermitente pode ter efeitos benéficos no corpo, cérebro, reparação celular e expressão genética. Mas será mesmo assim?

Primeiro, é importante perceber o que é isto. “Jejum intermitente é um termo que se refere a ciclos ou períodos de jejum e de ingestão alimentar, não especificando o que devemos comer mas quando”, explica à NiT a nutricionista Bárbara de Almeida Araújo, autora do blogue “Manias de Uma Dietista“.

Como é que se pode fazer?

Na realidade é mais simples do que parece e são várias as muitas pessoas que já o fazem naturalmente. Contudo, existem diversas formas de fazer o jejum.

No “método 16/8”, basta fazer a última refeição às 20 horas, por exemplo. No dia seguinte, salta-se o pequeno-almoço. Ou seja, é um jejum de 16 horas, restando oito para a ingestão alimentar. Segundo a especialista, esta é a forma mais simples de seguir esta tendência.

Depois, tem o “método eat-stop-eat”, que é um jejum de 24 horas feito, no máximo, duas vezes por semana. Neste caso, pode, por exemplo, fazer do jantar a última refeição do dia. No dia seguinte, não pode comer nada até chegar novamente à hora de jantar.

E ainda há uma terceira forma: o “método 5:2”. Neste método só pode ingerir entre 500 a 600 calorias em dois dias não consecutivos da semana.

Atenção: durante o período do jejum apenas pode beber água, chá ou café.

“Ao contrário do que se possa pensar, a maioria das pessoas que faz jejum intermitente diz sentir-se melhor, com mais energia. Quanto a sentir fome, é normal que se possa sentir numa fase inicial, mas depois o corpo tende a adaptar-se”, explica a nutricionista.

Será que o jejum intermitente é assim tão mau?

Mas deve fazer-se isto?

Segundo a especialista, quando ficamos sem comer durante um período limitado acontecem algumas alterações no nosso corpo. Há uma diminuição de glicémia e dos níveis de insulina, e o aumento da hormona do crescimento. Seguindo esta lógica, o jejum intermitente pode ser eficaz para perder peso, não só pela restrição calórica, mas também porque é uma forma eficiente de se queimar gordura corporal e acelerar o metabolismo, ao contrário daquilo que se pensava.

Além disso, algumas investigações indicam que estes métodos melhoram os marcadores inflamatórios, diminuem o nível de colesterol e triglicéridos, e podem ajudar a proteger-nos de doenças como cancro, diabetes e Alzheimer. No entanto, os estudos em humanos ainda são poucos, o que gera alguma controvérsia na comunidade cientifica acerca desta tema e dos seus verdadeiros benefícios.

Qualquer pessoa pode realizar o jejum intermitente?

“Não, apenas adultos saudáveis o podem fazer. Crianças, mulheres grávidas ou a amamentar, diabéticos, mulheres com história de amenorreia ou que estejam a tentar engravidar não podem realizar estes métodos. Pessoas com história de distúrbios alimentares, que estejam a tomar medicação ou com alguma patologia também não o devem fazer.”

Algumas pessoas fazem jejum intermitente e sempre fizeram porque simplesmente não têm fome de manhã, outras porque se sentem bem e, por outro lado, há as que não conseguem fazer porque o método não funciona com elas. Não há problema nenhum, somos diferentes e o que funciona para uma pessoa pode não reagir da mesma forma no corpo de outra.

“São necessários mais estudos, mas a literatura aponta para existência de benefícios. Por isso, se for saudável e o jejum intermitente for uma opção sustentável para si a longo prazo, poderá experimentar de forma a potenciar a perda de peso e/ou melhorar a saúde. Isto, claro, desde que a ingestão alimentar seja equilibrada, que se coma comida real e se pratique atividade física”, aconselha.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT