Alimentação Saudável

A pequena e poderosa fruta que tem de ter sempre à mão durante todo o verão

Os morangos são pouco calóricos e bem nutritivos. E há um pequeno truque para escolher os melhores.
Vale a pena comer morangos.

Quando se fala de fruta, o tempo conta. É certo que hoje em dia é cada vez mais fácil encontrar diferentes frutas ao longo de todo o ano, mas há razões pelas quais é mais fácil em certas alturas do ano encontrarmos não só mais, mas ainda mais saborosas.

Os morangos, já se sabe, têm presença garantida na secção de frescos dos supermercados até ao final do verão. E ainda bem. É que, além de serem saborosos, versáteis para mil e uma receitas, são uma excelente fonte de vitaminas minerais e compostos vegetais, com poderosos benefícios.

São ricos em água, vitamina C, potássio, magnésio e fibra. Além disso, têm alto teor em antioxidantes e hidratos de carbono, mas poucas calorias. Devido a estas características, são também vistos como aliados na saúde e na perda de peso.

A nutricionista Bárbara de Almeida Araújo, autora do blogue “Manias de Uma Dietista“, já tinha explicado à NiT como este alimento nos protege do cancro, pode ser uma ajuda na prevenção de doenças cardíacas, e pode ainda ajudar-nos a controlar os níveis de açúcar no sangue, a reduzir inflamações e o stress, além de terem um efeito diurético.

Do ponto de vista calórico, estamos a falar de cerca de 30 calorias por cem gramas, o que faz desta fruta uma excelente opção como sobremesa ou lanche em dietas para perda de peso. Os morangos podem também corresponder, em média, a 5,3 gramas de hidratos de carbono, pouco mais que a framboesa (5,1), cerca de um terço do que a anona, fruta exótica que já foi analisada pela NiT noutro artigo.

O morango tem tantos fãs que chegou a ter uma dieta própria. A dieta do morango foi popularizada por personalidades como Vitoria Beckham ou Kim Kardashian. A dieta não era poupada neste fruto: incluía morangos em todas as refeições e batidos de morango como snack.

Muitos benefícios em pouco tamanho.

Mas voltemos ao efeito diurético dos morangos. Um dos alertas dos especialistas sobre esta dieta mais extremista era precisamente para o excesso deste efeito, razão pela qual foi promovida uma versão mais soft.

Nesta dieta dos morangos um pouco mais serena incluía um plano de 1200 calorias diárias, que se fazia apenas três vezes por semana. Mas vinha com a tal nota: os três dias devem ser sempre intercalados e nunca seguidos, precisamente por causa do efeito depurativo deste fruto.

Como em tantas outras coisas, o que é demais pode trazer problemas. Felizmente com os morangos basta ter algum cuidado nas escolhas e vai ver que vale a pena. Uma das grandes armadilhas é o chantily, natas e açúcar que por vezes se junta aos morangos como sobremesa. Outra é uma daquelas gulodices de perdição: chocolate.

Podem sempre ser preferíveis a certos bolos carregados de corantes e conservantes mas, lá está: pode saborear mas sem abusar. Pode também usá-los em sumos, smoothies, gelados ou a acompanhar umas saudáveis panquecas.

Se a sua preocupação é que nem sempre sabe o que lhe calha em sorte, especialmente quando os morangos vêm embalados, há um pequeno truque pode ajudar: escolha os mais pequenos. Geralmente, são mais doces e menos ocos. Se forem especialmente vermelhos e com menos parte branca, também deverá ser bom sinal.

Os morangos são uma das frutas no top 6 de gelados saudáveis caseiros que a nutricionista Mafalda Rodrigues de Almeida escolheu para a NiT. Carregue na galeria e descubra esta e as restantes receitas que vão dar outro sabor, mais frutado e saudável, ao seu verão.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT