Alimentação Saudável

Verdade ou mito: a pastilha elástica ajuda mesmo a perder peso?

Há quem jure que sim, mas também quem coloque esta teoria completamente lado.
Leia com atenção.

Estão nos supermercados, nos cafés e até nos quiosques. Os nossos pais costumavam andar com elas na carteira e nós fizemos o mesmo desde cedo. As pastilhas elásticas fazem parte da nossa vida desde que nos lembramos que existimos e há quem não consiga mesmo viver sem elas. Ao longo dos anos, nasceram novas teorias e uma delas está relacionada com o processo de emagrecimento. Mas já lá vamos.

“A pastilha elástica é uma substância feita para se mastigar e não para engolir. De uma forma geral, é composta por uma goma base (que normalmente não vem descrita a composição exacta), aromatizantes, adoçantes e outros conservantes”, começa por explicar à NiT a nutricionista Bárbara de Almeida Araújo.

Segundo a especialista, alguns dos ingredientes adicionados em algumas versões devem ser evitados. Refere-se, por exemplo, ao hidroxitolueno butilado (E321). Falamos de um aditivo usado como antioxidante alimentar, sendo a sua segurança controversa, já que alguns estudos indicam que elevadas doses podem ter efeito carcinogénico.

A autora do blogue “Manias de Uma Dietista” também mencionou o aspartame. “É um adoçante artificial que tem um poder adoçante cerca de 200 vezes superior à sacarose. De acordo uma investigação feita ao longo de 22 anos, a ingestão de uma bebida por dia adoçada com aspartame aumenta em 42 por cento o  risco de leucemia, em 102 por cento o  risco de contrair mieloma múltiplo em homens, e em 31 por cento  o risco de linfoma não hodgkin em homens.”

Verdade ou mito: a pastilha elástica ajuda mesmo a perder peso?

Mas, afinal, está comprovado que mastigar pastilha elástica ajuda a perder peso? De acordo com a nutricionista, alguns estudos sugerem que pode ajudar a reduzir o apetite, o que irá afetar a ingestão ao longo do dia, contribuindo para a perda de peso. No entanto, os resultados das investigações que existem ainda não inconclusivos, pelo que não deve confiar nesse método para atingir os seus objetivos.

Por outro lado, há outras informações que já são dadas como certas. “O consumo excessivo de pastilhas sem açúcar pode ter um efeito laxante devido à presença de açúcar álcool”, diz à NiT Bárbara de Almeida Araújo.

Há mais um aspeto que deve saber: pode contribuir para a barriga inchada. Isto acontece porque ao mastigar as pastilhas pode ingerir também mais ar. Além disso, alguns adoçantes presentes nas pastilhas (sobretudo nas versões sem açúcar) fermentam no intestino, provocando o inchaço. Portanto, se tem sempre a barriga inchada, experimente retirar este produto do seu dia a dia.

“Se gosta de pastilhas e quer continuar a consumi-las, deve escolher pastilhas sem açúcar e, preferencialmente, adoçadas com xilitol, sendo também menos prejudiciais para os dentes, não provocando cáries”, aconselha.

Agora, aproveite e carregue na galeria para conhecer outros sete alimentos culpados por ter a barriga inchada.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT