Ginásios e outdoor

António tem 15 anos, perdeu 11 quilos mas ganhou uma nova vida (e mais amigos)

Com ajuda do PT Tiago Reis Silva, mudou radicalmente o dia a dia e tornou-se mais extrovertido, feliz e saudável.
O processo ainda vai a meio.

O excesso de peso nos adolescentes tem consequências físicas, afeta a saúde, mas também pode ter um impacto social de extrema relevância. António Bento tem apenas 15 anos e mudar de escola e entrar no ensino secundário, decidiu que queria mudar de vida. Pesava 82 quilos e não se sentia bem no próprio corpo.

“Sempre pensei que, eventualmente, iria ter de começar a perder peso. Já tinha feito dietas mas não fazia exercício — achei que tinha de mudar a minha atitude”, conta António à NiT. O jovem sentia que não conseguia participar nas aulas de educação física como o resto da turma fazia, tinha muitas mais dificuldades em realizar as atividades propostas pelo professor porque tinha pouca massa muscular. “Era muito difícil fazer o mesmo que os restantes colegas”. 

Segundo conta António, o excesso de peso sempre o acompanhou. “Já nasci um bocadinho gordinho e nunca fui uma criança magra”, explica. Ainda que não fosse costume abusar da fast food e dos snacks menos saudáveis, o jovem afirma que sempre teve um metabolismo lento. “Não tinha tanto a ver com os hábitos alimentares, mas com o facto de não praticar exercício físico regularmente”, diz. Porém, sempre foi ligado ao desporto e aos hobbies.

António chegou a jogar futebol, basquetebol e até badminton. “Mas nunca me esforcei tanto nestes desportos como agora com o Tiago“, admite. Quando chegou a altura de mudar de escola e entrar no ensino secundário, pensou que essa nova fase o iria motivar a, finalmente, conseguir perder peso. 

“A sociedade não acomoda tão bem as pessoas que não correspondam à imagem expectável. Não era de fazer muitos amigos, nem era extrovertido e queria alterar isso em mim. Mudar a minha imagem”, conta António. O primeiro passo do jovem rumo à mudança foi recorrer à ajuda do personal trainer Tiago Reis Silva. “Fiz a escolha certa porque o Tiago encoraja as pessoas mesmo quando pensam que não vão conseguir. A verdade é que durante os treinos faço coisas que nunca imaginei fazer e tenho uma enorme confiança nele”, explica. 

Perdeu 11 quilos em quatro meses

Mas não é só Tiago que motiva António. Também os pais do jovem de 15 anos tiveram um papel fundamental neste processo de perda de peso e sempre o encorajaram a praticar atividade física desde criança: “Os meus pais acharam uma excelente ideia eu começar a treinar porque queriam que continuasse a praticar algum desporto, apesar de só gostar de desportos mentais, como o xadrez.”

As sessões com o PT acontecem duas vezes por semana, durante cerca de 30 minutos. “O António faz treinos de alta intensidade sem máquinas e 100 por centro outdoor”, conta o personal trainer à NiT. Fez duas consultas de nutrição e tinha dois planos alimentares, mas Tiago apercebeu-se que todas estas mudanças lhe estavam a causar bastante ansiedade. Decidiu simplificar o regime alimentar para que o adolescente conseguisse manter o plano durante mais tempo. “Com outro tipo de plano alimentar, o António já podia ter perdido muito mais peso, mas também podia ter desistido a meio por não conseguir cumprir. Prefiro que demore mais tempo a chegar lá, mas que seja de forma equilibrada”, afirma Tiago.

António explica que, ainda assim, sente que mudou bastante a alimentação e está muito mais feliz com o que come agora. “Havia muitas mudanças que não estava à espera que acontecessem. Antigamente comia um pão com queijo de manhã sem vontade nenhuma, mas agora acordo entusiasmado para fazer a minha panqueca de aveia com uvas”, conta. 

“A minha vida mudou muito porque a perda de peso mudou até a forma como interajo socialmente. Tenho muitos mais amigos e sinto-me mais confiante. Perder peso não mudou apenas a minha forma física, deu-me mais energia e sou mais extrovertido”, confessa o jovem. Mas o objetivo é perder ainda mais nove quilos. Para o PT, a preocupação já não é a perda de peso, mas antes a diminuição do índice de massa gorda para 28 por cento. Aumentando, claro, a massa muscular para que “o corpo dele não fique deformado e com excesso de peles”

Ao contrário do que acontecia, há uma noção crescente de que o treino de força é de extrema importância para o correto desenvolvimento do seu corpo, durante o crescimento. “Começar a treinar, mesmo tendo apenas 14 ou 15 anos traz inúmeros benefícios, como aumentar a densidade óssea. Os adolescentes precisam de fazer treino de força, para ganhar densidade óssea e massa muscular e crescer de forma saudável”, explica o PT.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT