Ginásios e outdoor

A alternativa para fazer spinning fora do ginásio — e continuar a queimar calorias

Numa altura em que se devem privilegiar os espaços exteriores, esta pode ser uma forma eficaz de praticar exercício físico.
Diverte-se, apanha ar puro e queima calorias.

Os ginásios já reabriram, porém, muita gente continua a optar pelo treino físico ao ar livre, devido à pandemia do novo coronavírus. Com as férias de verão, há também quem vá para longe da sua área de residência, não tendo acesso aos clubes. Mas nada disto tem de significar parar de treinar. Se é fãs das aulas de spinning, conhecidas por trazer resultados rápidos em todo o corpo, saiba que pode ter um treino do género longe de casa, ao ar livre e perto da natureza. 

O spinning queima muitas calorias e é ideal para a perda de peso. Se tiver uma bicicleta estática em casa, aproveite. Se não for o caso, não se preocupe. Só vai precisar da sua bicicleta de passeio.

“Numa aula habitual de spinning de 45 a 50 minutos, é possível queimar 500 calorias. Com a nossa bicicleta de rua, no mesmo tempo, podemos queimar o mesmo número de calorias, basta pedalar com a mesma intensidade”, explica Bea Porto, instrutora de fitness, à “Vogue” espanhola.

Apesar dos benefícios de uma aula, com um instrutor que prepara os exercícios e guia a prática, há algumas dicas a ter em conta para poder atingir os mesmo objetivos na rua. Em primeiro lugar, o esforço deve ser feito em progressão, uma vez que o corpo se deve ir habituando ao aumento do esforço. 

Depois, é necessário ter em conta o tempo da prática no exterior — normalmente, deverá começar com uma hora. De acordo com a especialista, uma boa sessão no exterior começa com um aquecimento de dez minutos a pedalar mais devagar, seguidos de séries de maior intensidade, finalizando com uma volta mais calma, de forma progressiva até parar.

Durante a prática, é ainda importante alternar entre momentos sentado no selim, e outros de pé. Assim, é possível “trabalhar músculos diferentes e variar de posição”. Não se esqueça, claro, de realizar alongamentos nas zonas que vão estar mais ativas durante o passeio de bicicleta.

Pedalar tonifica as coxas e glúteos, assim como estimula os pequenos músculos das vértebras dorsais, fazendo com que eles se estendam e comprimam constantemente — assim se explica que este desporto previna as dores nas costas. E, como é um desporto, pode também ser um excelente antidepressivo, ideal para esta fase de pandemia.

A alternativa para fazer spinning fora do ginásio — e continuar a queimar calorias

Durante quanto tempo é preciso pedalar para emagrecer?

Segundo um relatório publicado em 2017 pela Universidade Alemã do Desporto, 50 minutos são suficientes para acelerar o metabolismo e, consequentemente, queimar mais calorias do que seria esperado. Uma hora é suficiente para controlar ou perder peso, já para não falar no facto de ter uma ação antistress. O ideal seria mesmo arranjar, pelo menos, três horas por semana para andar de bicicleta.

Explica à NiT o PT Tiago Silva, criador do grupo “No Limit Runners”, que andar de bicicleta é um pouco como correr, mas com uma diferença: sentimos as pernas mais pesadas no início do treino. Esse peso vai diminuindo à medida que vamos treinando com mais frequência. 

Já o mesmo estudo alemão diz que “quem anda de bicicleta regularmente poupa muitas visitas ao médico”. E continua: “Muitas pessoas com problemas de dores nas costas, excesso de peso ou doenças cardiovasculares, podiam desfrutar de muitos anos de boa saúde se usassem a bicicleta mais vezes”.

Agora, carregue na galeria para conhecer os melhores exercícios para ficar em forma enquanto treina com o seu cão ou gato.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT