Ginásios e outdoor

A super avó que bateu o recorde da prancha mais longa do mundo

A canadiana conquistou o título do Guinness World Records, aos 58 anos. E é tão fácil que faz a prancha enquanto põe a leitura em dia.
Aguentou 4 horas, 30 minutos e 11 segundos.

Para a maioria, fazer uma prancha é um exercício de tortura. Para pessoas como Donna Jean Wild, a prancha não é mais do que uma boa ocasião para pôr a leitura em dia. 

É o que a canadiana de 58 anos faz quando passa horas a preparar-se para bater o recorde do mundo da prancha. Foi o que fez a 27 de março, num feito registado e homologado pelo Guinness World Records.

Wild precisou de 4 horas, 30 minutos e 11 segundos para bater o record feminino mundial. A avó de 12 netos conta que a sua aventura pelo mundo do fitness começou há uma dúzia de anos, quando se lesionou no pulso.

Descobriu que a prancha era o exercício ideal para de manter em forma e não comprometer a lesão. “Apercebi-me de que conseguia ler e fazer outras coisas enquanto estava em posição de prancha e apaixonei-me por isso”, conta à “People”. 

Para bater o record, Wild foi treinado cinco a seis horas por dia, à medida que dividia o exercício em blocos. No dia da prova, só teve que repetir o seu mantra: “respirar, ficar calma e não mexer”. “A última hora foi a mais desafiante”, admite. 

Para que o record fosse cumprido com sucesso, os requisitos passavam por manter os cotovelos e dedos dos pés no chão durante todo o tempo. O resto do corpo deveria estar sempre levantado e numa postura direita e reta. 

“Ainda não acredito, parece um sonho”, explica. Para que outros possam ter a sua capacidade, aconselha que “continuem a tentar e a praticar”. “Quando tiverem de ler ou trabalhar no computador, metam-se no chão e façam-no aí”, nota.

O título de prancha mais longa para homens pertence a Josef Sálek, o checo de 53 anos, que o conquistou em 2023, durante 9 horas, 38 minutos e 47 segundos. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT