Ginásios e outdoor

Cuecas, implantes e bacalhau à CR7: o mundo curioso dos negócios de Ronaldo

Não é só o futebolista mais bem pago do mundo. Envolve-se em (quase) tudo, mas tal como no relvado, nem sempre ganha.
Ele é sempre o modelo das suas coleções

Um bacalhau à Brás não poderia ser apenas isso mesmo. Rebatizado pelo craque, o típico prato português foi incapaz de escapar ao omnipresente selo que o futebolista teima em anexar a quase tudo o que mexe.

A receita tradicional foi assim transformada num bacalhau à CR7, um dos pratos principais do Casa Aveiro by Dolores, restaurante que o português inaugurou no Brasil em 2018. A carta, garantem, foi criada pela mãe do jogador, que chegou a trabalhar como cozinheira.

Este é apenas um dos muitos negócios do futebolista que nos últimos dias voltou ao topo dos mais bem pagos do mundo, posto que perdeu há vários anos para Messi, mas que agora reconquistou. Só que o universo de Ronaldo vai muito além dos 107 milhões de euros que deverá receber na temporada que agora arranca.

Um dos investimentos mais antigos foi feito, claro, através da marca CR7, que hoje abrange centenas de produtos. De roupa interior, a jeans, a uma linha de calçado, outra de óculos e até lençóis e perfumes, o símbolo do jogador está um pouco por todo o lado.

A primeira aventura começou em 2006, com a abertura da primeira loja de roupa CR7 no Funchal, na ilha da Madeira. A marca viria a expandir-se para o continente, primeiro para Lisboa, depois para Vilamoura. Sem rentabilidade, as duas lojas acabariam por fechar, a última a do Algarve, já em 2020.

As habituais sessões fotográficas de boxers levaram a que em 2013, Ronaldo lançasse também a sua própria linha de roupa interior. E numa colaboração com a Denali, arriscou criar também cobertores e mantas com a sua assinatura.

Ronaldo quer que esteja sempre quentinho

O que também não escapou à insígnia do jogador foi o seu luxuoso jato Gulfstream 200, avaliado em perto de 20 milhões de euros, e que serviu de pretexto a outro negócio, que fazia render a aeronave quando não era usada por si. Foi também assim que criou a Dutton Invest SI, sediada em Madrid e que envergava o seu nome domo administrador — e que passou em 2019, segundo o “La Información”, para o nome do amigo Ricardo Regufe.

Do ar para o mundo digital, Ronaldo tem pelo menos duas apps com a sua figura como protagonista: Cristiano Ronaldo Soccer Clash e Ronaldo Kick’n’Run. Em 2017 foi mais longe e tornou-se no investidor maioritário da agência digital Thing Pink, que transformou em 7egend.

Hoje, a empresa cria soluções tecnológicas e móveis para grandes nomes como a McDonald’s, FNAC ou Futebol Clube do Porto; mas também para os espaços Footlab — laboratórios desportivos que usam a tecnologia para melhorar a performance de atletas e amadores, uma marca detida por Rui Costa e que já tem espaços em Lisboa e Dubai — e para o próprio museu do atleta na Madeira.

O museu, inaugurado em 2003, obrigou a um investimento de 1,5 milhões de euros. Um espaço com 400 metros quadrados, completamente recheado com os muitos troféus de Ronaldo.

Mais recentemente, o craque virou-se também para a hotelaria. Além do restaurante no Brasil, o investimento mais avultado foi feito numa parceria com os hotéis Pestana. Nem vale a pena tentar adivinhar o nome do primeiro hotel, que nasceu em 2016, no Funchal. Pestana CR7, pois claro.

Inspirado no mundo do futebol, a unidade obrigou a um investimento de cerca de quatro milhões de euros para criar o ambiente nos seus 49 quartos. Pelos corredores, despontam camisolas de Ronaldo; nas casas de banho, os relvados sintéticos assemelham-nas a mini-estádios de futebol.

O hotel de CR7 em Nova Iorque

A expansão avançou primeiro para Lisboa, depois para Madrid e finalmente este ano para Nova Iorque, mais concretamente na famosa Times Square. O próximo destino, tudo indica, será Marraquexe, a próxima casa dos hotéis CR7.

Em 2017, chegou a oportunidade de tirar partido da sua famosa obsessão pelo treino: uma parceria com a Crunch Fitness permitiu-lhe abrir onze ginásios espalhados por toda a Espanha. Em 2020, chegou a anunciar a abertura de dois espaços CR7 Crunch Fitness em Portugal, algo que nunca chegou a concretizar-se.

Possivelmente mais inesperado foi o investimento que Cristiano Ronaldo fez em 2019, quando regressou a Madrid para inaugurar uma clínica de implantes capilares, a Insparya, da qual é sócio em iguais partes com o português Paulo Ramos. O negócio foi um sucesso e em agosto foi inaugurada nova clínica, desta vez em Marbella.

A expansão prevê ainda a abertura de mais dez clínicas em todo o mundo até 2027. Por cá, a empresa de Ronaldo já se movimenta: em junho comprou o Grupo Saúde Viável, cujos espaços em Lisboa, Porto e Vilamoura passam também a fazer parte da rede de clínicas da Insparya.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT