Ginásios e outdoor

Esta marca portuguesa faz moda sustentável para os corpos de todas as mulheres

Começaram com todas as peças coloridas mas têm-se adaptado ao pedido dos clientes: mais pretos e mais tamanhos.
Uma marca que quer se internacional.

Há uma marca desportiva que se destaca no Instagram, com peças de roupa mais coloridas e tops mais compridos do que o normal. O mote é simples: adaptar-se a todos os corpos e fazer com que todas as mulheres se sintam confortáveis. O sonho que nasceu em Portugal durante a pandemia quer agora chegar a mercados internacionais.

A Nutch surgiu pelas mãos de duas amigas a  de janeiro de 2021: o dia de começar a pôr em prática as resoluções de ano novo. Margarida Trindade e a sócia Francisca Cardoso trabalham como gestoras das marcas próprias do Continente. Mas a vontade de criarem um negócio próprio falou mais alto.

No início da pandemia, em março de 2020, começaram a pensar em ideias quando perceberam que toda a gente ia aos supermercados para comprar tudo o que havia nas prateleiras. Naquela altura, as amigas quiseram criar um negócio para se abstraírem do stress e da ansiedade do trabalho diário.

“Apercebemo-nos de que muita gente estava a começar a praticar desporto e que seria uma boa ideia criar uma marca de sportswear”, conta Margarida à NiT. Há muitos anos que tinha o desejo de ter um negócio próprio. “Além de que gosto imenso de trabalhar e tenciono trabalhar nos dois projetos enquanto for possível”

Agora, em dezembro do ano passado, lançaram uma coleção com novas cores e novos objetivos: conjuntos pretos que se adaptem a qualquer corpo. No início pensaram em lançar apenas seis conjuntos, todos eles coloridos. No entanto, foram ouvindo a opinião das várias clientes e decidiram que deveriam também apostar na produção de alguns modelos em preto e até em peças mais versáteis e que se adaptassem a diferentes tipos de corpo. 

Os produtos são produzidos num único atelier em Lisboa por uma equipa entusiasta. Como produzem, localmente, podem realmente envolver-se em todo o processo de produção do vestuário e assegurar o mínimo desperdício dos materiais que utilizam. 

“Criamos peças de vestuário a preços justos para assegurar o respeito por toda a mão-de-obra que entra em cada peça, mas também pela utilização de materiais ecológicos que têm um impacto significativamente menor no nosso planeta”, explica a gestora. 

Os tops estão disponíveis em várias cores, como preto, azul marinho, bordeaux e azul oceano e custam 29€. Já as leggings custam 39€ e fazem conjunto com todos os tops disponíveis.

Há várias cores disponíveis

As duas sócias começaram por procurar soluções sustentáveis porque acham que as marcas têm de disponibilizar estas opções aos clientes. E não ao contrário “Sempre gostei muito de moda e design e decidimos desenhar as nossas próprias peças. Levávamos os desenhos às nossas costureiras, num pequeno atelier de Lisboa, e elas através do desenho iam criando as peças”, conta Margarida Trindade. 

O nylon que usam na produção das peças é o Econyl regenerado, que é produzido a partir de resíduos plásticos resgatados de aterros e oceanos em todo o mundo, dando-lhe uma segunda vida e contribuindo para um planeta mais sustentável. Através deste processo de regeneração, o nylon é trazido de volta à sua pureza original e pode ser utilizado para produzir novos produtos. O Econyl reduz o impacto do aquecimento global do nylon até 90 por cento quando comparado com o material normal feito a partir do petróleo.

“Para as nossas peças de algodão utilizamos algodão orgânico que é produzido com métodos e materiais que têm um baixo impacto no nosso planeta”, diz Margarida. É cultivado sem a utilização de pesticidas tóxicos e persistentes e fertilizantes sintéticos e consequentemente a sua produção permite a manutenção da fertilidade do solo.

Neste momento, Francisca já não faz parte do negócio. Margarida Trindade é a única detentora do projeto: “Não faz mal porque adoro trabalhar e quero continuar com a Nutch e com o Continente o máximo de tempo que conseguir.”

Para os próximos meses, a empresária ambiciona chegar a mercados internacionais e conseguir ter peças Nutch à venda em várias lojas físicas. Hoje em dia, as vendas são feitas exclusivamente através do site.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT