Ginásios e outdoor

Faz o cardio antes do treino de força? Avisamos já que pode estar a cometer um erro

Em primeiro lugar, temos de perceber por que motivo vamos fazer os dois treinos na mesma sessão. Será mesmo a melhor opção?
O treino cardio costuma ser combinado com o de força.

Tanto o treino de cardio como o treino de força têm o seu mérito. Pode preferir um tipo de exercício em detrimento do outro, mas vai querer fazer ambos todas as semanas para obter o máximo de benefícios. A boa notícia é que pode combiná-los numa única sessão, ou optar por dois treinos — com diferentes objetivos. Mas se escolher fazer apenas um, o melhor é perceber quando é que deve fazer o treino de cardio antes do de força.

Como já vem sendo habitual, muitas das perguntas em contexto de ginásio, têm como resposta: depende. Não conseguimos ter uma regra que se aplique para toda a gente. Convém sempre adaptar os treinos aos objetivos de cada um.

No entanto, quase todos os planos de exercícios envolvem cardio e força. Mas porque será? Primeiro temos de perceber o motivo pelo qual devemos fazer estes dois treinos na mesma sessão. Na maioria das vezes ou é porque gostamos, ou porque queremos utilizar o treino cardiovascular como forma de aquecimento.

Se o fazemos por gosto, então podemos continuar — para a maioria dos utilizadores dos ginásios, “não haverão diferenças significativas no resultado final”, explica o personal trainer Miguel Lázaro, do FITTEJO. O cardio pode funcionar como treino de resistência e melhorar a nossa performance no dia a dia, não implicando grandes alterações em termos de peso ou massa muscular.

“Servindo como aquecimento, existem outras opções muito mais interessantes e objetivas para preparar o treino de força, em comparação com qualquer passadeira ou elíptica”, diz Miguel. No fundo, tudo vai depender do objetivo de cada pessoa e das suas preferências. 

Para um atleta que queria perder massa gorda, poderá fazer sentido realizar os exercícios com carga em primeiro lugar. “No caso de um treino de força de elevada intensidade, estaremos perante uma considerável descarga hormonal e, consequentemente, haverá uma maior gasto calórico. Além disto, irá esgotar as reservas de glicogénio permitindo que o treino cardiovascular otimize a queima de gordura”, explica o personal trainer.

Já em sentido contrário, para quem pretende aumentar a massa muscular, se o treino cardio preceder o treino de força “poderá comprometer o seu desempenho na parte de desenvolvimento da musculatura”, diz Miguel Lázaro. Neste caso, devemos optar por fazer um aquecimento articular e logo de seguida passar para o treino de força. O cardio pode servir para terminar o treino e descontrair os músculos.

Portanto, mais uma vez não estamos perante uma situação totalmente certa, nem totalmente errada. O melhor será procurar um profissional que o aconselhe e oriente para que os resultados conseguidos com o treino sejam os melhores possível.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT