Ginásios e outdoor

“Fiz questão de não fazer um único abdominal.” Bumba na Fofinha é capa de revista de fit

Mariana Cabral foi mãe há quatro meses e, ao contrário do que é habitual, não fez nenhuma preparação física para as fotografias.
Foi mãe há 4 meses.

Mariana Cabral, mais conhecida como “Bumba na Fofinha” é capa da edição de outubro da “Women’s Health”. Ao contrário do que estamos habituados a ver na publicação — mulheres fit com abdominais bem tonificados — a humorista mostra-se como está, em pleno pós-parto. Como outubro é o mês de sensibilização para a saúde mental, a Mariana fez questão de relembrar alguns desafios que as mães atravessam nesta fase e que põem à prova a sua sanidade mental.

A chegada de um bebé é um momento, no geral, de muita felicidade.  Porém, poucos se lembram que é também um momento de grande transformação física e psicológica para a mulher. As hormonas e a adaptação da nova realidade podem ser avassaladoras. E é isso que a também youtuber de 35 anos, quer mostrar. A criadora de conteúdos foi mãe da pequena Clara há cerca de quatro meses e tem partilhado a sua experiência na sua página de Instagram. Agora fala mais detalhadamente sobre isso na revista de fitness.

“Whaaaaat se não é a vossa Bumbs na revista Womens Health, com este toucinho lindão e perfeitamente banal que Deus lhe deu”, começa por escrever Mariana, no seu habitual registo humorístico, para a anunciar a novidade. Explicou que não fez exercício algum para se preparar para tirar as fotografias para a capa. Nota também que a sua forma física é elogiada, mas todos se esquecem do mais importante, a saúde mental.

“‘ESTÁS ÓÓÓPTIMA, RECUPERASTE LIN-DA-MEN-TE., (ler com sotaque beto) e ninguém se lembra de saber “e essa sanidade marota, já recuperaste? Já dormes? Já viste o sol? Quão perto estás de ser um alerta CM?” Perguntam sempre se já voltámos ao peso de antes, e nunca se o peso que carregamos agora está a ser demais”, destaca.

A criadora de conteúdos refere ainda que este é o seu contributo para que exista mais representatividade, porque “uma recuperação supersónica é apanágio de poucas (sem o apelido Patrocínio)”, refere. E continua: “Tenho estrias, varizes, olheiras onde cabe uma cozinha Ikea e, acima de tudo, um corpo que gerou um sonho de filha. Sou uma moça de sorte”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT