Ginásios e outdoor

Há uma nova plataforma com meditações guiadas em português (e gratuitas)

Chama-se Brave Maryan e nasceu a partir da ideia de uma professora e aluna de ioga.
Foi lançado a 12 de maio.

É formada em Direito e em Comunicação Social, ainda trabalhou na segunda área, mas abandonou a carreira quando nasceu o terceiro filho, dedicando-se a 100 por cento à família. Em 2014, já com cinco filhos, descobriu o ioga e a meditação — e passou a ser instrutora de ambas. Agora, seis anos depois, criou uma plataforma online que nasceu durante a maior pandemia do século.

Sempre fiz imenso desporto, até fazia competição de karaté quando era miúda. Quando fui mãe, tive os meus filhos muito seguidos: ou estava à espera de bebé ou a dar de mamar,  ou à espera de bebé ou a dar de mamar. E era assim”, conta à NiT Inês Roseta, 42 anos.

Quando nasceu o quinto filho, que agora tem dez anos, decidiu-se inscrever-se num ginásio para recuperar a forma. Começou a experimentar as aulas de ioga e, quando se apercebeu, fê-lo durante um ano e meio. Como só fazia isso no ginásio, optou por procurar uma escola de ioga a sério.

“A minha professora dizia que a prática devia ser feita todos os dias. Eu só dizia: ‘Nem pensar, tenho cinco filhos’. Mas comecei a arranjar tempo todos os dias para me dedicar a isso. A minha instrutora perguntou se queria começar a ajudar e eu aceitei. Acabei por ir procurar uma  formação de ioga kids e baby. As coisas têm chegado de forma orgânica até mim. Nunca pensei em ensinar, até porque a maior parte dos gurus de ioga quase toda a vida foram professoras”, conta.

A vida mudou naturalmente aos 35 anos quando começou, então, a dar aulas de ioga. “No fundo, deixei a minha vida profissional para me dedicar às crianças e o destino trouxe-me isto. Quando deixei de trabalhar na empresa onde estava foi porque não encontrava equilíbrio entre trabalhar e ser mãe, mas agora alcancei isso. Às vezes, sentia quase uma culpa por sair durante uma hora para ir ao ginásio, mas depois apercebi-me de que estar fora aquele tempo só me dava mais energia e boa disposição para encarar tudo o que tinha para fazer em casa”. 

Atualmente, é professora no Health Club Visconde e no Ashtanga Cascais Yoga, ambos em Cascais. Foi no primeiro sítio que conheceu Mariana Crespo, 35 anos, que é formada em arquitetura e uma apaixonada por ilustração. Juntas, criaram um novo projeto durante a pandemia que, acreditam, pode ajudar muita gente nesta fase.

“A Mariana é minha aluna há três anos no health club. Uma vez mostrou-me uma ilustração que tinha feito de uma posição de ioga inspirada numa fotografia que tinha partilhado no meu Instagram. Mas não passou disso. Como escrevo para algumas publicações relacionadas com a modalidade, lembrei-me de perguntar se queria ilustrar os meus artigos, em vez de usar fotografias minhas. Foi assim que começou”, recorda à NiT.

Durante o confinamento, deu aulas por Zoom e também gravou alguns vídeos, nos quais contou com a ajuda de Mariana na parte de  edição. Em conversa, aperceberam-se de que não existiam assim tantos sites de meditação guiada em português e rapidamente decidiram unir-se para criarem um.

“A meditação faz bem ao corpo, ao espírito e à mente. Há muitas pessoas que sabendo os benefícios da meditação, começam a tentar meditar por sua conta, procurando algum apoio online. Há muita oferta em sites e apps mas são, maioritariamente, meditações guiadas noutras línguas, como inglês e português do Brasil.”

Tendo isso em conta e como ambas consideram que a meditação é uma ajuda preciosa para ultrapassar este momento de ansiedade que vivemos, juntaram, como se diz em linguagem popular, “o útil ao agradável”. “Sendo eu professora de meditação e a Mariana arquiteta e apaixonada por ilustração, unimo-nos e desenvolvemos esta plataforma”, conta Inês Roseta.

Chama-se Brave Maryan — um nome que Mariana já usava online para dar a conhecer o seu trabalho e que Inês quis manter por causa de uma mensagem subliminar, já que se consegue ler “Avé Maria” —, foi lançado a 12 de maio e é totalmente gratuito.

Lá, pode encontrar algumas dicas que o vão ensinar de uma forma muito prática e fácil como começar a meditar. Estão também disponíveis gratuitamente meditações guiadas, próprias para iniciantes e para quem faz meditação há mais tempo. Inês publica uma nova meditação todas as sextas-feiras. A duração varia, podendo ser de oito ou 20 minutos, por exemplo.

Embora o site seja dedicado à meditação, vai encontrar muita informação sobre as posições de ioga. “O ioga e a meditação não se podem desligar porque a meditação faz parte do caminho da parte da ioga. As posições, as posturas… No ocidente parece que é só uma ginástica, mas tudo aquilo é um caminho. E a meditação é um dos degraus. Há posições que ajudam a estar três dias sem dores no corpo. Está tudo interligado”, desabafa à NiT.

Na zona de blogue há ainda artigos, como forma de acompanhamento a quem segue as meditações e para retirar algumas dúvidas que forem surgindo com a prática. A dupla está também a desenvolver algumas meditações para crianças, acompanhadas com as ilustrações de Mariana, para que os mais pequenos “comecem desde cedo a encontrar o seu caminho interior e a desenvolver capacidades como concentração, controlo emocional e auto-estima”.

O feedback, garante Inês, tem sido bastante positivo. Têm ouvido que fazia falta um site destes e que será uma grande ajuda. Para quem não tem tempo (ou pensa que não tem), a instrutora deixa uma mensagem final.

“É impossível uma pessoa não ter cinco minutos do seu dia para meditar — se não tem, devia repensar como está a viver, porque devemos tirar tempo para nós. Mas também é muito fácil falhar. O benefício da meditação vai surgir na forma como lidamos com as ansiedades, no dia a dia, mas quando a pessoa está sentada a meditar não vai ver flores ou outros cenários de beleza, até pode cair em vários pensamentos. Mas isso é auto-conhecimento. Aí, será mais fácil é criamos a união de nós próprios, que é o que significa a palavra ioga.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT