Ginásios e outdoor

Irmãos campeões de boxe ucranianos largaram as luvas para defender o país da guerra

Vitali e Wladimir Klitschko voluntariaram-se para ajudar a Ucrânia na luta contra a invasão russa que já vitimou centenas.
Lutadores juntaram-se ao exército.

Tiveram grandes carreiras no boxe. Agora, aos 45 e 50 anos, os irmãos decidiram alistar-se no exército ucraniano e ajudar o país a combater a invasão comandada por Putin na quinta-feira, 24 de fevereiro. Os irmãos Klitschko chegaram a ser campeões da modalidade, mas desde 2014 que Vitali é presidente da câmara de Kiev.

“Não tenho outra escolha. Vou lutar. Acredito na Ucrânia, no meu país, e nos ucranianos”, disse Vitali, anteriormente conhecido como Doutor Punho de Ferro (Dr Ironfist), ao “Good Morning Britain”. Também o irmão (45 anos) decidiu voluntariar-se no início de fevereiro.

A filha de sete anos de Wladimir Klitschko e da atriz de “Heroes“, Hayden Panettiere, que costuma passar temporadas com o pai na Ucrânia, não estava no país no momento da invasão e encontra-se a salvo com a mãe, nos Estados Unidos. A atriz usou a sua conta pessoal de Instagram para partilhar vídeos de Wladimir sobre o conflito bélico e criticou também as ações de Putin que descreveu como “uma vergonha absoluta.”

“O povo ucraniano é forte. E continuará a ser fiel a si próprio nesta terrível provação. Um povo que anseia por soberania e paz. Um povo que considera os  russos como seus irmãos”, escreveu Vitali no Twitter a 24 de fevereiro. Este sábado, 26, usou a mesma rede social para apelar a que todo o mundo ajude a Ucrânia a acabar com a guerra, manifestando-se contra a invasão russa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT