Ginásios e outdoor

Joyous: a plataforma portuguesa de meditação que nasceu em tempos de pandemia

Não precisa de ser experiente para poder desfrutar (e até pode experimentar grátis para matar a curiosidade).
Às vezes bastam 5 minutos.

Mesmo que nem sempre o pratiquemos, todos nós sabemos a importância de certas rotinas no dia a dia. Caminhar, fazer exercício, lavar os dentes, comer bem são coisas que todos sabemos que nos fazem bem. Mas nem sempre pensamos na importância de respirar fundo e encontrar um espaço seguro para organizar ideias, não de forma burocrática mas libertadora.

Anabela Campinho, de 30 anos, já encontrou maneira de reservar esta pequena de janela de tempo, todos os dias, para meditar. É prática que há muito lhe chamou a atenção e que levou da sua vida pessoal para a sua vida profissional (e vice versa). A psicóloga é a fundadora da Joyous, uma plataforma portuguesa onde a meditação surge em forma de compromisso pessoal. A bem da nossa saúde mental.

“Sinto que não desenvolvemos tanto a parte emocional, de percebermos as nossas emoções e geri-las. E senti que havia falta algo que pudéssemos usar todos os dias e nos ajudasse a desenvolver isto”, explica à NiT sobre as origens do projeto.

Na sua experiência de dois anos a trabalhar em Inglaterra, Anabela recorda como a meditação foi algo com que trabalhou e que muitas vezes era sugerida na prática clínica. Havia, aliás, diferentes plataformas em inglês que podiam dar uma ajuda. Mas a oferta em Portugal era bem mais escassa. “Quando cheguei a Portugal há dois anos senti que havia esta necessidade”. A meditação podia ser uma ajuda extra no trabalho terapêutico e fazer também a sua parte em termos de “prevenção”.

A plataforma nasceu em tempos bem estranhos, como aqueles a que a pandemia nos tem obrigado. “Senti também nas pessoas próximas de mim que isto fazia falta e era agora. As pessoas sentem que não conseguem controlar nada. E se conseguirem controlar um bocadinho do que se passado dentro delas, acaba-se um pouco a lutar contra esta impotência”, conta.

A ideia para o projeto andava a germinar já há algum tempo mas a psicóloga admite que a pandemia acabou por acelerar o projeto. “As pessoas estão mais ansiosas mas também estão mais tempo em casa”. Foi em novembro que nasceu a Joyous e o feedback tem sido positivo.

Anabela Campinho admite que a pandemia tem feito cada vez mais parte das conversas em consulta. “Para algumas pessoas é um assunto que ocupa mais tempo e causa mais ansiedade do que para outras”, é certo. “Mas acho que toda a gente se sente um pouco mais ansiosa, e será desta sensação de incerteza, de não sabermos o que vem aí”, destaca a psicóloga.

A subscrição mensal (3,99€) permite acesso a diferentes sessões de meditação. Todos os dias, uma nova sugestão, para fazer à hora que lhe for mais conveniente. E eis a proposta que pode surpreender alguns: não precisa de passar metade do seu dia como se fosse um monge tibetano à procura do nirvana. Com 5 minutos apenas por dia é possível ter sessões diárias que permitam esse respirar fundo.

A plataforma tanto funciona para ajudar a rotinar quem já conhece os benefícios de meditar como para quem se aventura pela primeira vez nestas andanças. E pode experimentar seis dias grátis, sem compromisso. Isto apesar de Anabela deixas um aviso orgulhoso: “as pessoas que se inscrevem têm ficado”.

“Às vezes as pessoas têm interesse e começam mas depois no dia a dia nem sempre criam o hábito”. A própria psicóloga admite que é algo normal . Ela própria já meditava há vários anos mas só nos últimos dois anos é que tornou a prática diária. O truque, explica, é pensar na coisa como um hábito.

“Da mesma forma que nos alimentamos e cuidamos de nós e lavamos os dentes ou fazer exercício, também temos de cuidar da saúde psicológica. É quase como fazer exercício. Cria-se a rotina e depois, a partir do resultado que vem daí, queremos continuar porque percebemos também os benefícios”.

As sessões de cinco minutas foram pensadas precisamente para se adaptarem facilmente em diferentes rotinas e a pessoas com vidas (e idades) bem diferentes. “É ter este bocadinho para mim”, resume.

Além da plataforma, pode acompanhar novidades sobre o projeto e artigos sobre meditação e gestão emocional através do Facebook, Instagram e Twitter.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT