Ginásios e outdoor

Lagoas e cascatas. É assim um dos trilhos mais bonitos do Gerês

A NiT tem um ótimo programa para as férias deste verão, com o bónus de fazer exercício físico.
É lindo, lindo.

Durante as férias, grande parte dos portugueses prefere rumar a sul, aos extensos areais das costas algarvias. No entanto, uma escapadinha para um local remoto, pelo meio da natureza, pode ser o que precisa para reverter os efeitos menos positivos que a vida na cidade nos provoca. Deixar-se levar pelos sons e cheiros das plantas, encher os pulmões de ar puro e admirar paisagens naturais é a solução ideal para aquelas alturas em que sentimos que temos mesmo de parar.

No norte do País, o Gerês é um dos destinos ideais para conhecer, aproveitar a natureza, esquecer o trabalho e desligar de tudo. É por lá que tem muito para ver ou fazer — desde a comida deliciosa aos vinhos, trilhos e percursos, termas, reservas naturais e locais históricos. A região é conhecida pelas cascatas e lagoas naturais de águas frescas e natureza envolvente. Mas para lá chegar precisa muitas vezes de se aventurar por longas caminhadas, em trilhos já assinalados.

Um bom exemplo é o Trilho da Mistura das Águas. Conhecido como uma das caminhadas mais deslumbrantes para fazer no Gerês, este percurso tem a idílica Lagoa dos Druidas como figura de cartaz. A água em tons esmeralda escondida no profundo vale do rio Peneda convida a refrescar e a recuperar os músculos para o regresso. Para a Anabela e para o Alexandre, criadores do blogue “Vagamundos”, esta lagoa “é mesmo de uma beleza desarmante e não custa a crer que, como reza a lenda, tenha sido palco de rituais pagãos conduzidos por feiticeiras e druidas”. O casal já fez o trilho e considera-o “um dos melhores para fazer no Gerês”.

Quanto à dificuldade, os exploradores admitem: “o trilho não é particularmente difícil, mas face à sua extensão, terreno e declive também não é nenhum passeio no parque”.

O ponto de partida (e de chegada) é na Casa Florestal de Beleiral, na Gavieira. Depois este percurso desenvolve-se pela Serra da Peneda e conta com aproximadamente 14 quilómetros de extensão que implicam atravessar bucólicos bosques que parecem ter sido recortados de contos de fadas. No caminho vai poder conhecer a imponente Fraga das Pastorinhas — uma das mais icónicas paredes de escalada natural do País — e conhecer o local onde o rio Peneda se une ao rio Laboreiro.

Para se aventurar a solo neste trilho não se esqueça de levar roupa confortável, calçado adequado e água para ir bebendo ao longo do percurso. O caminho está assinalado, mas caso precise de ajuda, os bloguers “Vagamundos” disponibilizam um mapa no seu site, para ser mais fácil saber sempre onde está.

Carregue na galeria para descobrir algumas imagens deste trilho.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT