Ginásios e outdoor

Neste estúdio, a pole dance é mais do que aquela dança sensual do varão

O IMO Studio inclui aulas de pole dance, ioga, preparação física, floorwork, dança para crianças e ainda aulas para grávidas. 
Pole Dance é uma mistura de danças.

“Um dia vi o filme ‘StripTease’ onde a atriz Demi Moore aparece a dançar num varão de um clube de strip e essa imagem marcou-me, ficou gravada na minha memória”. É assim que Joana Silva começa por explicar porque é que decidiu abrir o IMO Studio, o novo estúdio de pole dance e ioga, no Areeiro, em Lisboa. 

Joana tem 40 anos, formada em fisioterapia pela Escola Superior de Saúde de Alcoitão e foi no pole dance que imaginou o seu futuro. Há 13 anos que se dedica a dançar e a ensinar a dança do varão. “Era um bastante nova quando vi esse filme. Não fui experimentar logo porque em Portugal não havia escolas de pole dance na altura”, explica.

Mas a prática não implica apenas bailar sensualmente com a ajuda de um varão — requer também uma grande liberdade de movimentos e pode incluir muitos passos de diversos tipos.  “O que me fez apaixonar pelo pole dance foi o facto de ser uma modalidade muito livre, ou seja, não é rígida em termos de regras e em termos de expressão individual da pessoa. É como uma esponja: é um estilo de dança que absorve muitos outros estilos”.

Joana conta ainda que foi ginasta acrobata durante vários anos, tendo mesmo chegado a participar em competições: ter oportunidade de juntar as acrobacias que ao varão e aos passos de dança fizeram com que se dedicasse a esta paixão a tempo inteiro. Quando começou, ainda trabalhava também como fisioterapeuta mas acabou por pôr deixar a prática clínica de lado.

O novo estúdio tem um conceito minimalista onde não faltam os varões indispensáveis à prática.

Foi aí que decidiu abrir o seu próprio estúdio, o IMO Studio, a 6 de setembro deste ano. “A vontade já existia há muito tempo”, confessa Joana. O novo espaço inclui aulas de pole dance, ioga, preparação física, floorwork, dança para crianças e ainda aulas para grávidas. 

A escolha destas atividades foi pensada ao pormenor: dança do varão porque já tinha 13 anos de experiência e floorwork porque completa o pole dance. Já a preparação física é, para Joana, “a aula mais importante do estúdio porque dota os alunos física e mentalmente para a dança, além de ajudar a prevenir lesões”. O ioga também é uma modalidade que se alinha com a prática e, por isso, também foi incluído no mapa de aulas do IMO Studio. 

O porquê do nome IMO foi o que quisemos saber de seguida: “é uma palavra portuguesa que significa íntimo, o que está mais fundo, mais interno e o conceito do estúdio é que a mudança começa dentro de nós.”

Precisamos de muita força para praticar pole dance? “Não. Tem uma exigência um pouco maior porque é uma dança aérea. E este tipo de dança implica, em determinada altura, acrobacias suspensas pela força dos braços ou pernas. No entanto, a força vai-se trabalhando ao longo das aulas”, explica Joana Silva.

É um facto que existe cada vez mais uma procura por modalidades alternativas ao ginásio e às máquinas e a oferta de estúdios de modalidades de média intensidade, mais pequenos e mais familiares, tem crescido. Porque será? “As máquinas não trabalham o corpo de forma orgânica e funcional. A dança acaba por desenvolver e trabalhar o corpo de uma forma global”, diz Joana.

Os varões são o acessório principal

Muito associado ao striptease e ao mundo noturno, o pole dance tem cada vez mais praticantes e pessoas interessadas em experimentar. A prática está a deixar de ser tabu e alvo de preconceito, no entanto, “ainda existem preconceitos ou ideias pre-concebidas. Ainda existem pessoas que não têm um ideia bem formada sobre a modalidade. Mas também existem cada vez mais interessados, tanto do lado feminino como do masculino”, conta a instrutora.

As redes sociais vieram desmistificar o que verdadeiramente é o pole dance e ajudaram a acabar com a ideia de que é uma dança reservada a mulheres. J”Ao longo de uma década a dar aulas noto que tem havido um aumento do número de homens que procuram e experimentam este tipo de dança. Hoje há mais alunas e a admitir que o fazem, mas ainda há muitas pessoas que preferem manter o silêncio”, reconhece.

Para participar nas aulas do IMO Studio é necessária uma inscrição prévia no site. Quando ao preçário há várias opções: uma aula experimental custa 10€, já o pack livre trânsito mensal tem o valor de 105€. Se quiser apenas fazer quatro aulas paormês, o valor desce para 60€.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT