Ginásios e outdoor

No hospital termal mais antigo do mundo, curava-se a realeza. Agora está aberto a todos

O hospital foi mandado construir pela Rainha D. Leonor. Hoje, os tratamentos estão abertos a todos os que o visitem.
O mais antigo do mundo.

Acredita-se que, por volta de 1484, durante uma viagem de Óbidos à Batalha, a rainha Dona Leonor (mulher de D. João II), tenha passado por um local onde várias pessoas se banhavam em águas de odor intenso. Rapidamente percebeu de que se tratavam de águas com poderes curativos, mas a monarca quis comprovar por si própria os relatos. 

Reza a lenda que as maleitas ficaram curadas e que, no ano seguinte, ordenou que fosse erigido naquele local um hospital termal. Esse mesmo edifício, construído em 1485, pode ainda hoje ser visitado e melhor — e as águas supostamente milagrosas continuam na base de todos os tratamentos. E foi também por isso que a localidade foi batizada de Caldas da Rainha.

“É uma história ímpar. Toda a cidade se edificou a partir daí e é grande parte do que nos distingue das restantes”, explica à NiT Sara Oliveira, umas das responsáveis do local. “As pessoas ficam sempre maravilhadas porque podem vir ao hospital termal mais antigo do mundo, mas ao mesmo tempo podem receber tratamento modernos — conseguimos aliar a vertente histórica com a curativa.” 

O segredo está nas propriedades da água. A uma temperatura de 34 graus, é considerada hipersalina, como acontece na maioria dos casos a nível nacional. Mas “tem um complemento engraçado” que as distingue das restantes. A sua composição iónica é sulfúrea e cloretada sódica “que faz com que tenham propriedades anti-inflamatórias muito favoráveis”.

A forma como se dividem as instalações é simples: no edifício novo, encontram-se os tratamentos para as vias respiratórias, onde se ergue o espaço coletivo com capacidade para 50 pessoas. Na ala sul, parte integrante da obra antiga, os serviços são mais individualizados, com capacidade para atender cerca de 40 pessoas por dia. Ali fazem-se tratamentos mais direcionados para problemas musculo-esqueléticos. Ainda assim, existem equipamentos e tratamentos mais associados ao wellness.

No que concerne o sistema respiratório, as opções são muitas. A nebulização individual, por exemplo, é indicada para quem sofre de asma e bronquite, inalando água através de uma máscara. Por sua vez, o duche ou irrigação nasal é também uma alternativa, assim como a pulverização faringea — acontece através do impacto de uma jato de água termal à temperatura de 42 graus, num tubo à pressão, com o objetivo de tratar problemas na faringe. 

Já os tratamentos musculo-esqueléticos podem ser realizados através de técnicas em banheira, por exemplo, a hidromassagem, os banhos de imersão simples e bolha de ar. Promovem o alívio de dores na coluna, costas e pernas fragilizadas e contribui para o relaxamento. O duche vichy é ideal para aliviar as dores lombares e dorsais, a partir de chuva termal, ao mesmo tempo que combina técnicas de massagem com a pressão exercida pelos jatos de água termal. 

Conta com dois espaços dedicados aos tratamentos.

Ao contrário do que se espera numa estância termal, não existem piscinas, mas os responsáveis reconhecem que é algo que faz muita falta. “Temos a piscina da rainha, mas serve motivos turísticos apenas, não pode ser utilizada”, nota. Até porque a tentam conservar da forma mais fiel possível à sua origem. Ainda assim há perspetivas de avançar com novos planos “porque a procura tem sido muita”.

“Ainda não temos capacidade para tudo o que precisamos, neste momento. Mas queremos trabalhar nesse sentido. Temos já um plano em vista para avançar com a ampliação das termas, e, por exemplo, no caso de novos balneários, esperamos que o projeto esteja pronto entre este e o próximo ano.”

Embora a época termal aconteça entre março a dezembro, a tendência do calendário tem vindo a estender-se, devido aos serviços que não recorrem às águas termais, mais associados à vertente de bem-estar, muitas vezes abrindo portas logo em janeiro. Tentam encerrar o mínimo de tempo possível, apesar de ser sempre necessário um tempo para a manutenção dos equipamentos.

Os preços variam consoante a época baixa, média ou alta, com valores entre os 4,10€ e os 125€.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT