Ginásios e outdoor

O novo spot de Lisboa é muito mais do que uma simples loja de skates

O CyberCafé Skateshop é um projeto de dois jovens que queriam algo para os fãs de skate mas de portas abertas a toda a gente.

O nome já explica que não estamos perante uma simples loja de skates: CyberCafé Skateshop. É um local para skaters, claro, das tábuas de skate ornamentadas de mil e uma maneiras a toda uma linha de sportswear. Mas este espaço que abriu em Lisboa é outra coisa. É um “sonho de criança” tornado realidade.

Quem o explica é Lui Appratto, prestes a fazer 25 anos, que já leva mais de uma década no mundo do skate. Era um miúdo em Florianópolis, no Brasil, quando conheceu a cena do skate local. Foi lá também que conheceu Gabriel Mafra, três anos mais novo.

Da adolescência em Florianópolis, as memórias de quando se conheceram são de skate mas também de encontros entre amigos, onde depois de umas acrobacias a conversa prosseguia, com um café, sobre skate, videojogos, arte e cultura em geral.

Quando foi para a universidade em Brasília, estudar design gráfico, Gabriel começou a trabalhar na área de produção de vídeo. Em setembro de 2019, veio para Portugal. Um ano depois seguiu-se Gabriel. A ideia para um projeto deste género estava lá há muito. “Foi uma ideia que sempre tivemos, que achávamos que nunca iríamos colocar em prática, porque era um sonho de criança, juntar num só espaço tudo aquilo que gostávamos, do vídeo, videojogos, estar com amigos, tomar café, um skate. Era o que nós fazíamos”, recorda. Mas surgiu uma oportunidade financeira. “Foi uma corrida para poder montar isso”.

Aqui há esse espírito de espaço aberto à comunidade. Dá para entrar, espreitar as pranchas, as roupas, pede-se um café ou uma cerveja e fica-se à conversa entre amigos num dos cafés na zona lounge ou a ler uma revista. “Mesmo quem não tenha dinheiro para comprar um skate, que é algo que não dá para comprar sempre, há este espírito de convívio”, conta-nos.

Ela aí está, o tal sonho de infância tornado realidade num espaço de 69 metros quadrados para conhecer no número 1 da Rua Ferragial, perto do Cais do Sodré e Igreja do Corpo Santo, a poucos minutos a pé da Praça do Comércio.

Um projeto de Lui Appratto e Gabriel Mafra.

A localização é um dos trunfos. “É meio escondida mas bem localizada e com muito acesso a turistas”. “É lugar de encontro, além de ponto de skate. E quem nos visita diz que esta zona precisava de algo assim. O feedback tem sido bem positivo”, conta.

Entre o mundo do skate de Lisboa o projeto tem sido bem recebido, conta-nos Lui, explicando que vão também patrocinar um novo talento no skate. São raízes que se criam e querem crescer por elas próprias.

O espaço apresenta-se amplo, com os produtos expostos de forma muito prática e simples. Encontra marcas com alcance grande, como a Dickies, mas também outras de maior e menor dimensão que têm conquistado adeptos entre o mundo dos skaters. Além da parte de loja e da zona lounge, há know-how de produção de vídeos (em especial de skate, claro) e ainda publicam materiais impressos, como zines e livros de fotografia.

O skate já tem tradição em Portugal mas conta ainda com poucas skateshops. Lui explica à NiT que, nos últimos 20 anos, Barcelona tem sido o destaque na cena do skate europeia. “É a powerhouse”, realça Lui. Mas há margem para que Lisboa continue a crescer para se tornar ela própria uma “powerhouse”. É toda uma cultura que já tinha cá raízes e que na era do Instagram e TikTok tem já encontrado novos praticantes.

O espaço abriu a 12 de junho. Está aberto de segunda a sexta-feira, das 10h30 às 20 horas, e aos sábados das 10h30 às 16 horas. Nesta altura é já um segredo mal escondido entre a comunidade do skate mas o tal espírito de convívio é de abertura a todos, mesmo para quem nunca teve um skate debaixo dos pés. Carregue na galeria e descubra um pouco melhor a CyberCafé Skateshop.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT