Ginásios e outdoor

Os famosos Suede da Puma vão ter uma versão biodegradável — os RE:Suede

A gigante alemã já está a realizar os testes piloto da variante sustentável do modelo que conta com uma legião de seguidores.
Sapatilhas que são feitas a pensar no ambiente.

A Puma desenvolveu uma versão experimental das sapatilhas mais famosas e icónicas da marca: as Suede. Lançado em 1968, este modelo continua a fazer parte de todas as novas coleções da gigante alemã. A nova versão biodegradável ainda está em testes pilotos — vai ser lançada em janeiro de 2022. As RE:Suede vão ser disponibilizadas a 500 participantes selecionados na Alemanha que vão ter oportunidade de as usar durante seis meses para testar a durabilidade do produto. 

Esta variante pretende definir novos padrões de sustentabilidade e foi projetada para ajudar a enfrentar o desafio da gestão de resíduos na indústria do calçado. A Puma irá partilhar os resultados desta iniciativa com a concorrência para conseguir obter um impacto ambiental ainda maior.

Depois de serem usados durante seis meses, as RE:Suede serão submetidas a um processo de biodegradação industrial num ambiente controlado numa empresa especializada em resíduos, na Holanda. O objetivo desta etapa é determinar se o composto de grau A pode ser produzido para uso agrícola.

Os resultados vão ajudar a Puma a avaliar o processo biodegradável e a perceber que desenvolvimentos serão essenciais para o futuro do consumo sustentável do calçado. 

O novo modelo da Puma vai poder ser transformado em composto agrícola.

A nova versão das clássicas Suede surge depois de a marca ter lançado umas sapatilhas sustentáveis para a coleção inCycle, em 2012. No entanto, acabaram por ser retiradas do mercado por falta de procura e pela necessidade de mais pesquisa e desenvolvimento do produto. “Em 2012, a nossa ambição circular era arrojada, mas ainda não possuíamos toda a tecnologia. Como se costuma dizer, em cada desafio há uma oportunidade, e continuamos a esforçar-nos para fazer melhor — aplicando os nossos pontos fortes aos novos modelos e reconhecendo e melhorando os nossos pontos fracos”, disse Heiko Desens, Diretor Criativo da Puma.

Até 2025, a Puma quer reduzir o desperdício aumentando o nível de poliéster reciclado nos seus produtos para 75 por cento, definindo esquemas de devolução de produtos nos seus principais mercados e desenvolvendo opções de materiais reciclados para substituir o couro, a borracha, a algodão e o poliuretano.

Carregue na galeria para descobrir as novas sapatilhas da Puma que vão fazer sucesso ao longo dos próximos meses.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT