Ginásios e outdoor

Tem 20 anos, mede um metro e meio e é a nova rainha fit do TikTok

Uma lesão quase a deixou paralisada em miúda. Demi Bagby recuperou e tornou-se um fenómeno.
Demi Bagby tem 20 anos.

Sempre foi uma miúda ativa. Até começou pelo futebol, a jogar ao lado dos irmãos e treinada pelo pai na equipa da escola. Mas as coisas só começaram a ficar sérias quando tentou entrar para a equipa de cheerleaders do seu liceu.

Por cá não é uma modalidade especialmente desenvolvida, mas nos EUA é importante ao ponto de haver competições profissionais. Era miúda e queria entrar mas não tinha ainda a idade das colegas. Lá a deixaram fazer os testes, desde que soubesse já fazer alguns exercícios obrigatórios.

Nervosa, pediu à mãe que arranjasse alguém para lhe dar aulas privadas. Não chegou para se sentir confiante. Pegou num colchão lá de casa, arrastou-o até ao jardim e começou a fazer mortais até não poder mais. Entrou e tornou-se a mais nova da equipa.

Podia ter sido só um talento precoce naquela modalidade mas não foi assim que as coisas aconteceram. Tinha 13 anos quando uma acrobacia correu mal. As colegas não a agarraram a tempo e Demi caiu de costas no chão. Esteve três meses numa cadeira de rodas. Chegou a temer ficar paralisada o resto da vida. Demorou um ano inteiro mas conseguiu recuperar. Foi tempo em que aquela rapariga super ativa, natural de San Diego, na Califórnia, dedicou a leituras e a aprender a tocar piano.

Aos 14 anos, ia no carro na companhia da mãe, quando viu um pequeno ginásio que lhe chamou a atenção. Era um espaço de CrossFit. “Entrei e era um estúdio muito pequeno, com uns colchões pretos, umas barras, e fiquei do tipo: ‘uau, isto é de loucos’. Parecia mesmo porreiro”, recordava em 2018 numa entrevista à norte-americana Men’s Health. Adorou. Entrou e era a única menor a frequentar o espaço.

Uns meses depois participava na sua primeira prova. Ficou em 517.º lugar no escalão de 14 e 15 anos nos EUA. No ano seguinte voltou e era já a 23.ª melhor do mundo na sua idade. Nunca mais largou o CrossFit. Mas estava ainda no início do seu percurso.

Foi ainda adolescente que se começou a aventurar nas redes sociais. O Instagram foi a primeira aposta. “Para mim é como um diário das minhas capacidades. Consigo ficar um dia inteiro a ver-me fazer surf”. Pouco antes de fazer 18 anos, já se formava para poder ser instrutora e apostar na melhoria de condicionamento físico. Aos 18 era já protagonista da sua própria app de fitness.

Hoje em dia, Demi é mesmo um fenómeno. O irmão dois anos mais velho, Devon Bagby, que já vai construindo carreira como ator, até poderia ter alguns conselhos para ela sobre fama. Mas Demi está já noutro nível.

Tem perto de 2,5 milhões de seguidores no Instagram. O seu primeiro vídeo no YouTube, publicado há quatro anos e meio, intitula-se “The First Teen SuperHuman Female Athlete”, algo como “a primeira atleta super-humana adolescente”. É um pouco mais de um minuto de proezas da jovem.

Num dos mais recentes, já anda a fazer o circuito de treino padrão do exército dos EUA. Mas a proeza maior talvez seja online, na rede social em maior ascensão da atualidade: tem mais de 14,2 milhões de seguidores no TikTok.

Todos os dias Demi mostra o seu lado bem disposto mas acima de tudo super atlético. Faz parkour, skate (a tocar guitarra), ginástica em todo o lado, kickboxing, joga basquetebol com o seu metro e meio de altura, faz lançamentos incríveis de futebol americano, puxa carros com uma corda, enfim, a lista é mesmo grande.

Se há um desporto para experimentar, ou já o tentou ou está prestes a fazê-lo. Aliás, um simples passeio pela praia faz-se com mortais (feitos como quem dá um passo normal).

“Acho que às vezes as pessoas não se apercebem de como os desportos se correlacionam uns com os outros”, contava à “Men’s Health”. A entrevista, aliás, começou num recinto para praticar basebol. Demi nunca o tinha feito. Pegou no taco, falhou a primeira bola. Corrigiu as pernas e a posição e o taco acertou em cheio na segunda bola. Mais um talento desportivo a juntar ao seu extenso rol de capacidades.

Desde aquela vez em miúda em que arrastou o colchão até à rua para começar a experimentar mortais que Demi sempre mostrou este lado inato para o desporto. É autodidata em vários aspetos e tem um gosto especial em fazer as coisas à sua maneira.

“Quando comecei a fazer rotações na ginástica não sabia se havia de ir pela esquerda ou direita. Toda a gente ia pela esquerda, escolhi ir pela direita e fazer as coisas de forma diferente”. Resultou. A mesma lógica parece ter sido aplicada noutros aspetos da sua vida, com igual sucesso, sempre com o mesmo à vontade e boa disposição na hora de experimentar coisas novas.

À “Fringe Sport”, Demi conta que a lesão e a forma como o CrossFit a ajudou a recuperar o amor pelo desporto são elementos que nunca esquece. “Via vídeos quando estava a recuperar e dizia a mim própria que se algum dia voltasse a andaria estaria determinada a aproveitar cada dia e a aprender coisas novas todos os dias”. A promessa podia ter sido uma profecia, uma que se concretizou.

@demibagby

hi im demi 🙋🏼‍♀️ #womeninsports #womenempowerment

♬ Ma ze mimatai – Tik Toker

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT