Saúde

Afinal, os cremes naturais podem não ser assim tão bom para a pele

Más notícias: um estudo revelou que nem todos os cosméticos naturais são saudáveis. Sabonetes, loções e fragrâncias estão a causar dermatites.

Muitos vivem com comichão constante e diária, outros não chegam a tanto mas sofrem de secura e vermelhidão na pele. Em todo o mundo, mais de 230 milhões de pessoas sofrem de dermatite atópica, segundo a Organização Mundial da Saúde e, com o avançar do problema, os sintomas podem mesmo levar à descamação da pele.

A cortisona é a solução mais popular para resolver o problema. Porém, é possível controlar muitos dos casos sem recorrer a esse tipo de medicamentos com efeitos secundários, com uma hidratação constante e recurso a uma boa gama de cremes e outros produtos para a pele.

Todos os anos, gastamos dinheiro em produtos que se dizem hipoalergénicos e naturais, mas trazemos más notícias. Um estudo científico realizado por um grupo de investigadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos da América, revelou que 90 em cada 100 produtos naturais para a pele contêm, pelo menos, uma substância responsável por causar algum tipo de alergia.

Sabonetes, loções e fragrâncias que usamos como métodos preventivos ou curativos podem, afinal, ser os próprios causadores de alguns problemas de pele. Os dados do estudo foram publicados na revista médica JAMA e mostram que dos 1.651 produtos para a pele analisados, cerca de 90 por cento podem provocar dermatite de contacto, uma condição conhecida por provocar comichão, vermelhidão e, ainda, bolhas na pele.

Ao analisar os rótulos de produtos vendidos em três grandes superfícies norte-americanas, os investigadores descobriram que estes contêm, em média, entre quatro e cinco alergénios. No total, encontraram 73 substâncias causadoras de alergias nos rótulos analisados.

“A Food and Drug Administration (FDA)” —  a entidade reguladora norte-americana, equivalente ao Infarmed em Portugal — “não definiu o que é considerado limpo ou natural para a pele, permitindo que os vendedores anunciem os produtos livremente e sem regras específicas”, lê-se no mesmo estudo.

Esta falta de definição faz com que os consumidores preocupados com os efeitos de produtos químicos na pele comprem este tipo produtos de cuidados pessoais (PCP) de forma iludida. Um item para a pele contém entre 15 e 50 ingredientes, o que significa que podemos estar a aplicar cerca de 500 substâncias diferentes na nossa rotina diária de cuidados de pele — e algumas sem serem assim tão naturais como indicam.

Não é supressa, portanto, que a mesma pesquisa tenha concluído que as taxas de dermatite de contacto quase triplicaram desde 1996: “a prevalência de dermatite relacionada com PCP aumentou 2,7 vezes entre 1996 e 2016”, revelam os especialistas.

Segundo o mesmo estudo, as “cadeias de retalho, como supermercados, são os distribuidores mais prolíficos de produtos de cuidados pessoais naturais, correspondendo a 41,7 por cento da receita mundial de distribuição total deste tipo de artigos em 2019”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT