Subscreva a nossa newsletter para receber as melhores sugestões de lifestyle todos os dias.

Saúde

António Costa: “Medidas adotadas têm dado resultados” — mas “não podemos aliviar”

O primeiro-ministro falou aos portugueses após a reunião desta quinta-feira, 3 de dezembro, com o Infarmed.
Especialistas acreditam que o pico já passou.

Após a saída da reunião com o Infarmed, que decorreu esta quinta-feira, 3 de dezembro, a propósito da situação da pandemia de Covid-19 em Portugal, o primeiro-ministro falou ao País. Começou por agradecer aos portugueses “o grande esforço feito, que está a produzir resultados”, nos novos contágios e internamentos.

Segundo António Costa, “quer no país em geral, quer nas diferentes regiões e, em particular, na região norte há uma clara indicação de que teremos dobrado o pico desta segunda vaga e que entrámos em fase descendente”. 

“As medidas adotadas têm estado a dar resultados, mas que é fundamental consolidar este processo e não podemos, neste momento, aliviar a situação de forma a que esta dinâmica continue”, para podermos “chegar ao Natal com a situação devidamente controlada”, continuou.

O primeiro-ministro também referiu que os especialistas antecipam que “no início de janeiro e fevereiro teremos riscos acrescidos seja pelas questões de temperatura, pelo convívio natalício, seja pela confluência com outros fatores como o vírus da gripe”. Consciente de estarmos no bom caminho, ressalva, no entanto, que é necessário prosseguir dessa forma para que possamos controlar e consolidar esta situação.

A vacinação contra a Covid-19 também foi um tema importante na reunião com o Infarmed. Sobre isto, António Costa disse ter recolhido também nesta sessão “informação muito rica” e assegura que, mesmo sendo possível encurtar o tempo, não se facilitou no processo de avaliação das vacinas.

“As vacinas merecem toda a confiança quanto à sua eficácia, efeitos adversos e à durabilidade da imunidade. Há todas as razões para confiar no trabalho da Agência Europeia do Medicamento”, afirmou.

Portugal está em Estado de Emergência desde 9 de novembro e até 8 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado do novo coronavírus. Entretanto, haverá reunião do Conselho de Ministros para dar parecer ao decreto do Presidente da República que será conhecido esta quinta-feira. Já as medidas serão anunciadas no sábado, 5 de dezembro. Contudo, António Costa garante que o esforço feito nestas últimas semanas vai manter-se.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT