Saúde

Beber café com cogumelos: a nova (e bizarra) tendência no universo do bem-estar

Tomar esta mistura é uma prática cada vez mais comum, mas a ciência ainda está bastante reticente quanto aos seus efeitos.
Esta tendência começou na Inglaterra.

Se é estranho ler as palavras café e cogumelos na mesma frase, misturar os dois numa chávena é impensável. Ou melhor, era. A verdade é que, ultimamente, tem acontecido muito nas redes sociais. Os britânicos lançaram a tendência e o mundo foi atrás. Existem cada vez mais pessoas a tomar esta combinação logo pela manhã, recorrendo a suplementos baseados no fungo.

Muitos acreditam nos benefícios da novidade, mas a comunidade científica tem criticado a falta de evidências comprovadas. Alguns especialistas apontam que muitas pessoas se sentem melhor quando mudam para esta mistura, mas tal não se deve ao efeito dos cogumelos. Geralmente, o que acontece é que acabam por consumir menos cafeína, à qual grande parte da população é muito sensível, embora não o saiba. O desconhecimento leva ao consumo deste estimulante com mais frequência do que deviam.

“Este alimento, apesar de ser conhecido e utilizado como uma hortícola, faz parte de um grupo à parte, que é o dos fungos. Quer isto dizer que é amplamente consumido não só pelo seu interesse a nível culinário, mas também pelas suas características nutricionais. Os cogumelos são conhecidos por terem um baixo valor calórico, baixo teor em gordura e uma quantidade significativa de fibra. Destacam-se ainda pela sua riqueza em micronutrientes, nomeadamente vitaminas do complexo B, potássio, selénio e cobre”, começa por explicar à NiT a nutricionista Lia Faria.

Além disso, este ingrediente era e continua a ser utilizado tradicionalmente em muitas culturas, especialmente na Ásia, onde também se usa de forma terapêutica. É esta uma das explicações que a maioria das pessoas que adotou esta prática argumenta: dizem que estão interessados neste tipo de bebidas baseadas nos métodos e na sabedoria antiga, como a medicina chinesa.

Neste tipo de bebidas, os cogumelos são consumidos sob a forma de um extrato tomado como suplemento para fortificar outros alimentos, neste caso, o café. “A prática deve-se, sobretudo, à riqueza dos cogumelos em substâncias bioativas que podem apresentar vantagens para a saúde, tais como os terpenoídes, polifenóis, glicoperoteínas, entre outros.”

Um dos estudos já realizados pretendia avaliar a evidência da utilização de cogumelos numa perspetiva terapêutica e identificou várias vantagens para a saúde no consumo deste alimento: contribui para o aumento da saciedade e, consequente redução da ingestão calórica; pode melhorar a resposta inflamatória e imune a nível de doenças intestinais; aumentar a tolerância à glicose e aos marcadores de lípidos e reduzir a deterioração cognitiva associada à idade.

Ainda assim, a nutricionista refere “é preciso fazer uma avaliação cuidada a estes resultados”. Os autores da investigação acabaram por concluir também que ainda existe uma enorme lacuna na literatura sobre temática, e as conclusões acabam por ser bastante limitadas. “Existem muito poucos estudos em humanos, sendo impossível validar a utilização de suplementos à base de cogumelos de forma preventiva ou terapêutica. E, apesar da sua utilização ser geralmente segura, há vários registos de reações secundárias mais ligeiras, especialmente a nível intestinal e da pele.”

Desta forma, a especialista refere que ainda parece muito precoce recomendar a utilização deste tipo de produtos e que não é possível prever se a sua utilização trará alguma vantagem num futuro próximo, embora o seu uso seja cada vez mais recorrente.

“É possível que com a evolução da ciência e da indústria surjam mais estudos que nos permitam tirar outras conclusões. Até lá o ideal será aproveitar as vantagens nutricionais associadas ao consumo de cogumelos na sua forma integral e não como suplementos. Além disso, é importante ter em conta que este tipo de produtos muitas vezes são vendidos de forma livre e pouco controlada.”

A Holland & Barrett, loja britânica de produtos naturais, afirmou que as pesquisas no seu site por este tipo de suplementos de cogumelos aumentou em 50 por cento relativamente ao ano anterior, segundo o jornal “The Guardian”. Ainda assim, embora muitos consumidores optem por comprar estas misturas diretamente às marcas que as fabricam (como a Dirtea, a Spacegoods ou a Reformed), “estas fórmulas também são cada vez mais comuns em farmácias e lojas de produtos naturais” acrescenta um porta-voz da Holland & Barrett.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT