Saúde

Caos na urgências: situação vai piorar em dezembro devido à falta de médicos

Em Lisboa, há vários serviços de urgência encerrados. Os profissionais de saúde e o governo ainda não chegaram a um acordo.
Especialistas aconselham a ligar para o SNS.

Nos últimos meses, as urgências têm estado caóticas devido à falta de médicos. Com a chegada do tempo frio e a falta de acordo entre o Governo e os profissionais de saúde, a Federação Nacional dos Médicos (FNAM) prevê que a situação agrave.

Nos últimos dias, um total de 39 urgências de norte a sul do País esteve condicionado. A unidade do hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, esteve fechada durante três dias assim, como a do hospital Dr. Fernando Fonseca (mais conhecido como Amadora-Sintra). Com os vários constrangimentos, há outros serviços que ficam sobrecarregados e o tempo de espera para uma consulta urgente pode levar horas.

A FNAM e o Executivo esteve reunida há cerca de duas semanas, mas o acordo parece, segundo que a federação disse à SIC Notícias, que não surtiu efeito. A federação admite ainda que com a chegada do frio e as doenças típicas da época, a tendência é de piorar.

Face a estas dificuldades, a DE-SNS pede a todos os utentes que contactem a Linha de Saúde 24 antes de se dirigirem às urgências. A entidade recomenda aos cuidados de saúde primários que se reorganizem e que assegurem atendimento não programado, nomeadamente aos pacientes agudos.

Pode consultar a lista completa dos hospitais que enfrentam constrangimentos no atendimento de doentes urgentes no site do SNS.

Leia também este artigo onde uma médica de família que trabalha no Serviço Nacional de Saúde há 28 anos conta à NiT os motivos que a levam a estar “cansada da desvalorização” da profissão.  “Ninguém consegue trabalhar assim, muito menos com salários irrisórios.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT