Saúde

Caso de poliomielite em Nova Iorque deixa autoridades de saúde mundiais em alerta

É o primeiro infetado nos EUA em quase uma década. No mês passado a OMS confirmou vestígios do vírus nos esgotos em Londres.
O jovem não estaria vacinado.

As autoridades de saúde de Nova Iorque anunciaram esta quinta-feira, 21 de julho, que existe um caso confirmado de poliomielite nos Estados Unidos — o primeiro em mais de uma década. Esta informação surge exatamente um mês depois da Organização Mundial da Saúde (OMS) ter confirmado a presença de vestígios do vírus da doença nos esgotos de Londres.

Não revelados detalhes sobre o estado do paciente que vive em Rockland (no estado de Nova Iorque, a cerca de 10 quilómetros do Bronx. Porém, Patricia Schnabel Ruppert, comissária de Saúde do condado, aqui citada pela CNN, adiantou que: “o jovem adulto não estava vacinado e começou a sentir fraqueza e paralisia há cerca de um mês”.

O condado de Rockland é o lar de uma comunidade judaica ultraortodoxa, na qual as taxas de vacinação têm sido historicamente muito baixas. Em 2018 e 2019 esta região foi o epicentro de um surto de sarampo que durou quase um ano e atacou 312 pessoas. As autoridades de saúde da região informaram na altura que apenas 8 por cento dos locais tinham sido vacinados contra o sarampo, a papeira e a rubéola antes do início do surto.

Os especialistas sublinharam que o paciente “aparentava ter uma estirpe do vírus derivada da inoculação, porventura consequência de uma vacina viva, que está disponível noutros países, mas não nos EUA”. Após a confirmação da doença neste paciente, as autoridades locais aconselharam a vacinação contra o vírus: “Com base no que sabemos sobre este caso, e a poliomielite em geral, o Departamento de Saúde recomenda vivamente que os indivíduos não vacinados sejam inoculados com o fármaco contra a poliomielite IPV, aprovado pela FDA, o mais rapidamente possível”.

Segundo a descrição no site da Saúde 24, o vírus da poliomielite é extremamente contagioso e atinge sobretudo os miúdos mais novos. “Este invade o sistema nervoso e pode causar paralisia total numa questão de horas. Os casos de poliomielite diminuíram mais de 99 por cento desde 1988, de cerca de 350 mil casos em mais de 125 países onde a patologia era considerada endémica, para 29 casos relatados em 2018, mundialmente.”

O poliovírus espalha-se facilmente quando uma pessoa infetada tosse ou espirra e também pode propagar-se através de alimentos ou água que estiveram em contacto com as fezes de alguém com a doença. Em Portugal, a vacina contra a poliomielite está incluída no programa nacional de vacinação e a sua administração é aconselhada a miúdos até aos cinco anos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT