Saúde

Ciência prova em definitivo que acupuntura não tem qualquer vantagem para a saúde

Uma equipa de médicos especialistas analisou vários estudos realizados nesta área da medicina tradicional chinesa para chegar a esta conclusão.
Escusa de passar pela experiência.

Considerada uma forma de medicina alternativa, a acupuntura é um dos métodos terapêuticos mais populares em todo mundo. De origem oriental e com mais de cinco mil anos de existência, a técnica tem vindo a ser aperfeiçoada ao longo do tempo e, atualmente, é uma opção viável para inúmeros tratamentos. Porém, um estudo recente afirma que pode não ter assim tantas vantagens.

“Apesar da vasta literatura em acupunctura, a maioria das revisões concluiu que a confiança nos seus efeitos era limitada”. Esta é a principal conclusão da pesquisa publicada esta quarta-feira, 23 de novembro, na revista científica “JAMA Network Open”, que se junta a dezenas de outros trabalhos feitos ao longo das últimas décadas — e que concluíram o mesmo: a acupunctura não mostra quaisquer benefícios para a saúde.

A inserção de agulhas em locais específicos do corpo humano contribui, segundos os profissionais da área, para a melhoria de sintomas físicos e neurológicos e pode ser utilizada por jovens, adultos e idosos. Porém, o artigo científico agora publicado revela que, apesar de esta prática ter sido sujeita a “centenas de ensaios clínicos e revisões sistemáticas para dezenas de problemas de saúde, muitas conclusões têm provas muito fracas”.

Os investigadores envolvidos na pesquisa analisaram 434 trabalhos de revisão científica sistemática publicados entre 2013 e 2021. As revisões agregam múltiplos estudos realizados numa determinada área para perceber, por exemplo, que conclusões têm sido tiradas sobre esse assunto.

A maioria dos estudos analisados dedicou-se à aplicação de acupunctura em problemas que envolvem dor, como fibromialgia e dores nas costas, mas existem também alguns artigos sobre enfartes cardíacos ou até saúde mental. No caso deste último a equipa de cientistas liderada por Selene S. Mak, cientista do Centro Médico dos Veteranos no Oeste de Los Angeles, nos Estados Unidos da América, não trouxe nenhum avanço para a área.

Como o jornal “Público” avançou, “esta não é a única revisão dos trabalhos publicados”. Em 2018, foi publicado um estudo sobre o efeito da acupuntura nos doentes com hipertensão: “Não há provas de uma redução continuada da pressão arterial como consequência da acupunctura.”

Algo que também acontece com depressão, enfartes ou dores relacionadas com vários tipos de cancro, por exemplo. Dois anos depois, uma nova pesquisa relacionou a prática com as dores de costas e a conclusão foi clara: “Não terá melhorado o movimento das costas em comparação com a simulação.”

Os investigadores admitiram ainda que não identificaram efeitos adversos para a saúde resultantes da prática em si mesma. É o chamado: “Não faz mal nem bem”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT