NiTcom

Clara Não ilustra o novo projeto de sensibilização que quer ajudar a acabar de vez com o VIH

Na ZeroVIH.pt, os jovens podem encontrar informação prática sobre esta infeção e respostas às perguntas mais frequentes em caso de diagnóstico.
A informação é essencial para lidar de forma tranquila com o vírus.

VIH. Três letras, muitos mitos e inúmeras questões. Ainda existe um grande pudor em falar abertamente sobre o VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) e é precisamente por essa razão que circulam muitos mitos sobre o tema – e há ainda mais dúvidas por esclarecer.

Sabia, por exemplo, que não há risco de contágio por VIH meramente através de beijos? É verdade, o vírus não se transmite pela saliva. É precisamente por isso que é importante explicar que o VIH não lhe tira em nada o direito ao amor, muito menos faz de si uma pessoa menos merecedora dele.

Em Portugal, os jovens parecem seguir a tendência europeia que aponta para uma menor utilização do preservativo nas suas relações sexuais, ficando suscetíveis a infeções sexualmente transmissíveis, como é o caso do VIH. Neste sentido, foi precisamente para que todos eles possam explorar o tema da sexualidade de forma segura e sem tabus, estar mais informados sobre o tema e encontrar respostas claras para as suas questões que a MSD Portugal lançou o projeto ZeroVIH.pt, uma plataforma informativa desenvolvida com o apoio da ilustradora portuguesa Clara Não.

Lançado no dia 4 de setembro, Dia Mundial da Saúde Sexual, este projeto tem como objetivo juntar vários conteúdos de sensibilização para os comportamentos que levam à propagação do VIH – a ideia é chegar a uma geração “ZERO VIH”, sem comportamentos de risco e, no caso de infeção já existente, ao controlo da doença através da toma de medicação. Até porque esta doença é possível de ser prevenida através de uma simples e informada alteração de comportamentos.

Ilustração da Clara Não.

Afinal, o que é o VIH?

Apesar de ser considerada uma doença crónica, a infeção por VIH continua a ter uma conotação negativa e muito estigma associado. Na verdade, o momento do diagnóstico pode ser assustador. O desespero que se sente quando se duvida que se é seropositivo, e ainda mais quando se confirma a dúvida, pode ser difícil. De repente, o mundo cai aos seus pés e parece o fim da sua vida. A verdade é que não é. E a informação é uma dimensão essencial para lidar de forma tranquila com este vírus.

Obviamente, esta não é uma situação fácil, mas é possível ter uma vida praticamente normal se for diagnosticado precocemente, graças à toma regular de terapêutica, acompanhamento médico, boa alimentação e muito exercício. Na plataforma ZeroVIH.pt, vai poder encontrar de forma simples, sucinta e sem tabus, através das ilustrações da Clara Não, respostas às mais variadas perguntas relacionadas com esta infeção – desde informação sobre os comportamentos de risco, até ao percurso que deve ser feito em caso de diagnóstico positivo. 

Sabe qual é a diferença entre o VIH e a SIDA? Se é possível ter VIH e não saber? E se tiver VIH, pode ter filhos? A resposta a estas e muitas outras perguntas estão nesta nova plataforma de sensibilização. A MSD pretende contribuir ativamente, com esta e outras iniciativas, para a melhoria da saúde sexual em todas as fases da vida e atuar na redução do estigma e da transmissão, proporcionando às próximas gerações um futuro sem VIH.

Resumindo, se todos se protegerem usando preservativo, fizerem análises e testarem-se regularmente – e as pessoas que testarem positivo procurarem acompanhamento e tomarem regularmente a terapêutica –, será possível erradicar o VIH. 

“Não aceites os ‘não devo ter nada’. Não arrisques quando te podes precaver. O sexo é bem melhor quando te sentes seguro! E lembra-te: perigoso é ter VIH e não saber”, explica Clara Não. 

Ilustração da Clara Não.
Este artigo foi escrito em parceria e com o apoio da MSD Portugal - PT-NON-01248 10/2021.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT