Saúde

Comissão Europeia não vai renovar contratos com AstraZeneca e Johnson & Johnson

O foco estará nos fármacos desenvolvidos pela Pfizer e Moderna.
Atenção.

Esta quarta-feira, 14 de abril, sabe-se que a Comissão Europeia não pretende renovar os contratos para aquisição das vacinas contra a Covid-19 com a Astrazeneca e a Johnson & Johnson — ambas têm estado envolvidas em casos de coágulos e mortes após a toma dos fármacos.

A notícia avançada pelo jornal italiano “La Stampa”, que cita uma fonte do ministério da Saúde daquele País, diz que os contratos em vigor não serão renovados quando expirarem.

“A Comissão Europeia, em acordo com os líderes de muitos países (da UE), decidiu que os contratos com as empresas que produzem vacinas (de vetor viral), válidos para o ano em curso, não serão renovados no seu termo”, pode ler-se na publicação.

Desta forma, tudo indica que o foco de Bruxelas estará nas vacinas que usam tecnologia de mRNA, como a da Pfizer/BioNTech e a da Moderna.

A notícia chega no mesmo dia em que, numa entrevista à Lusa, citada pela “TSF”, o responsável pela unidade de Emergência de Saúde Pública do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), Piotr Kramarz, revela que o centro considera ser “concretizável” ter 70 por cento dos adultos da União Europeia vacinados contra a Covid-19 até final do verão, apesar dos  obstáculos que têm surgido na campanha de vacinação europeia.

“Faremos o nosso melhor para chegar tão perto ou exceder este objetivo”, reforçou o também chefe-adjunto do programa de doenças do ECDC.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT