Saúde

Covid-19: 35% dos concelhos portugueses sem farmácias para fazer testes grátis

Todos os distritos do país têm municípios onde não é possível realizar um teste à Covid-19 numa farmácia.
Números de novos casos aumentaram.

Em 35 por cento dos concelhos de Portugal continental não há farmácias onde seja possível fazer testes rápidos à Covid-19 comparticipados pelo Estado. E nenhum distrito do País tem todos os seus concelhos com, pelo menos, uma farmácia a fazer estes testes. Isto acontece numa altura em que milhares de pessoas estão obrigadas a apresentar um certificado de testagem para aceder a hospitais, lares, discotecas ou grandes eventos públicos.

Desde que entraram em vigor as novas regras de testagem, a 1 de dezembro, a procura de testes nas farmácias disparou. As entregas foram rastreadas para evitar roturas de stocks, mas já há armazenistas com as prateleiras vazias e sem data para entregas, referiu ao jornal “JN” Manuela Pacheco, presidente da Associação de Farmácias de Portugal (AFP). 

A Associação Nacional de Farmácias (ANF) admitiu a escassez de testes, mas garante que entre esta sexta-feira, 3 de dezembro, e segunda-feira, 6 de dezembro, haverá reabastecimento.

Segundo dados fornecidos pelo Infarmed no dia 2 de dezembro, dos 12 municípios de Bragança, cinco não têm farmácias com testes gratuitos. Em Castelo Branco só existem em três dos 11 concelhos. Em Faro, dez dos 16 municípios estão a descoberto e na Guarda faltam em seis dos 14 concelhos. Em Portalegre, nove dos 15 concelhos não têm farmácias a fazer testes gratuitos e em Viana do Castelo metade dos dez concelhos também não têm esta resposta. Em Lisboa, Porto, Braga e Coimbra há mais soluções, mas ainda assim longe do necessário para a procura.

A ANF e AFP reconhecem as assimetrias geográficas, mas lembram que em muitos casos as farmácias não têm equipas nem espaços para dar esta resposta às solicitações.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT