Saúde

Covid-19: há mais de três meses que não havia tantos casos diários em Portugal

Esta terça-feira, 15 de junho, registaram-se mais 973 casos. Lisboa transformou-se num centro pandémico preocupante.
Tendência tem sido de subida em Lisboa.

O País está ainda longe da situação dramática vivida em janeiro e fevereiro deste ano, altura em que o número de casos e óbitos disparou, colocando o serviço nacional de saúde sob uma pressão que ainda não tinha existido na pandemia. Mas uma coisa é clara: os números de novos casos continuam a subir.

Esta quinta-feira, 15 de junho, o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) deu conta de mais 973 casos. Olhando para os dados da DGS, é preciso recuar até ao início de março para encontrarmos um número superior de casos diários. Na altura, o País estava com medidas muito mais apertadas de confinamento e ainda a recuperar da subida acentuada dos números que marcou o início de 2021.

Em termos de casos diários, é preciso recuar até 6 de março para encontrar um número superior, de 1.007 novos casos. Este número, no entanto, incluía mais de uma centena de notificações que tinham demorado a serem registadas devido a “intercorrências informáticas.”

Na verdade, precisamos de recuar mais uns poucos dias, até 3 de março, uma quarta-feira, para encontrar um número superior aos registados esta terça-feira. Na altura, foram 979 os casos, uma tendência apesar de tudo já de descida (foi no final de fevereiro que se registaram os últimos dias com mais de mil casos diários). Porém, agora a curva é diferente. E Lisboa é a região que claramente mais contribui para esta subida.

A principal preocupação estará em Lisboa e Vale do Tejo, que registou 629 casos nas últimas 24 horas (quase 65 por cento do total). A 3 de março, a mesma região registara 426 (43,5 por cento do total de casos).

A situação a 3 de março era mais grave, no sentido em que havia mais de 64 mil casos ativos no País (são mais de 25 mil nesta altura) e um cenário muito mais stressante nos hospitais. Naquele dia, por exemplo, havia 1.827 pessoas internadas, 415 nos cuidados intensivos. Hoje são 346 internados, 79 deles em intensivos. Em termos de óbitos, o País registou nas últimas 24 horas duas mortes. Naquele dia foram confirmados 41 óbitos.

Ainda assim, o que vemos é um gráfico ascendente, com particular destaque na capital. Carlos Antunes, especialista da Faculdade de Ciências, admite mesmo que Lisboa já estará acima dos 240 casos por 100 mil habitantes.

“A tendência é crescente, a própria transmissibilidade está acima de 1, portanto prevê-se que nos próximos dias possa chegar aos 280 casos por 100 mil habitantes”, destacou.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT