Saúde

Covid-19: mais de 60% dos casos identificados em Lisboa já são da variante Delta

Os dados foram revelados pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge este domingo, 20 de junho.
Preocupante

Já são conhecidos os resultados preliminares das sequências já analisadas no mês de junho no âmbito do estudo sobre as variantes da Covid-19 em Portugal. O estudo, coordenado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) revela dados preocupantes: na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT), a prevalência da variante Delta é superior a 60 por cento.

Já na região norte do País, esta variante representa ainda menos de 15 por cento dos novos casos sequenciados. “A análise dos resultados das primeiras amostras sequenciadas em junho indica ainda, para estas duas regiões, uma situação diferente em relação à variante Alfa, associada ao Reino Unido, estimando-se uma prevalência desta variante de cerca de 30 por cento em LVT e de 80 por cento no Norte”, escreve um INSA numa nota enviada às redações este domingo. 

A mesma nota esclarece ainda que, “apesar de preliminares e de constituírem apenas uma fração do total de amostras positivas de COVID-19 que ainda serão analisadas durante o mês de junho, estes resultados permitem conhecer melhor a prevalência das principais variantes genéticas do SARS-CoV-2 em Portugal, nomeadamente para as regiões LVT e Norte, nas quais a amostragem é mais significativa”.

O comunicado do INSA adianta ainda que se “estima que a variante Delta tenha um grau de transmissibilidade cerca de 60 por cento superior à variante Alfa”.

O relatório conclui ainda que “no que diz respeito às variantes Beta e Gama (501Y.V3, associada ao Brasil, Manaus), enquanto a primeira não foi detetada em qualquer das amostras analisadas durante o mês de junho, a segunda (Gama) aparece com uma prevalência de cerca de 3 por cento, tanto na região Norte como em LVT, mantendo os valores estimados no mês de maio”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT