Saúde

Covid-19: no Reino Unido já se podem dar “abraços cautelosos”

O país ainda está a desconfinar mas há novidades e boas notícias.
Pediu-se cautela e moderação.

Máscara, distanciamento, isolamento profilático. É longa a lista de hábitos e palavras que a pandemia veio introduzir nas nossas vidas. Mas ainda há termos novos por descobrir. Como os “abraços cautelosos” que são por estes dias notícia no Reino Unido.

Na segunda-feira, 10 de maio, Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, deu luz verde ao aliviar de algumas das medidas de restrição que têm vigorado nos últimos tempos. A agência Reuters nota que entre as novidades (ou regressos) está a tradição bem britânica de voltar a beber cerveja no interior de pubs. Os cafés vão também poder servir no interior. E os ingleses têm agora autorização para dar “abraços cautelosos”.

“Quem quer que eu abrace, posso garantir-vos que tal será feito com cautela e moderação”, salientou o próprio governante. Os ingleses, é bom lembrar, não são especialmente fãs de contacto físico. Um curioso estudo de 2015 referia que, entre um grupo de países europeus (os portugueses não estavam incluídos no estudo), os ingleses eram mesmo dos menos disponíveis para qualquer contacto físico, mesmo um abraço entre amigos.

A “CNN” contactou especialistas para tentar decifrar com mais detalhe o que é que os ingleses querem dizer com “abraços cautelosos”. A primeira ideia a reter, é que quem já foi vacinado tem mais margem para um pouco menos de cautela.

“Se uma pessoa não vacinada quiser abraçar alguém, acho que deve usar máscara. E fazer com que seja breve”, explicou à cadeia televisiva o infecciologista William Schaffner. Além do tempo curto e de se evitar ao máximo o contacto próximo face a face, deve também ser dado no exterior.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT