Saúde

Covid-19: Nos EUA, mais de 140 mil crianças perderam pelo menos um dos pais ou avós

As crianças não são tão vulneráveis à Covid-19 mas muitas não deixaram de ver a sua vida alterada pela pandemia de forma definitva.
Dados são do CDC.

Numa altura em que a Covid-19, pelo menos em parte do mundo, começa a dar maiores sinais de tréguas, vai sendo possível olhar com outro detalhe para o impacto que teve na vida das pessoas.

Nos EUA, que até ao momento registou mais de 44 milhões de casos, que custaram a vida a mais de 700 mil pessoas, foram revelados números de uma “tragédia secundária” causada pela pandemia. A expressão é do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla original), que revelou dados novos ao final de quinta-feira, 7 de outubro, sobre o impacto da pandemia no país.

Mais de 140 mil crianças nos EUA perderam pelo menos um dos pais ou um dos avós. É o equivalente a uma em cada 500 crianças, isto num país onde, em 2019, pelo menos 10 por cento das crianças dependiam diretamente de um dos avós como cuidadores principais.

“As descobertas ilustram a orfandade como uma tragédia secundária oculta e contínua causada pela pandemia de Covid-19 e enfatiza que identificar e cuidar destas crianças ao longo de seu desenvolvimento é uma parte necessária e urgente da resposta à pandemia, tanto durante a pandemia como no pós-pandemia”, destacaram os autores do estudo, citados pela “CNN”.

O mesmo estudo realçou que a maior parte das crianças afetadas pertencia a minorias étnicas, situação que se confirmou, por exemplo, entre a comunidade hispânica nos estados mais a sul dos EUA mas também entre a comunidade afro-americano em diversos outros estados.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT