Saúde

Covid-19: nova pastilha elástica pode ajudar a diminuir a transmissão do vírus

A investigação indica que a carga viral pode ser reduzida em 95 por cento. Protegendo da contaminação por tosse e espirros.
Novo estudo pode criar uma pastilha elástica para combater o Covid-19.

Uma nova pastilha elástica que pode ajudar no controlo de novos casos de Covid-19 está a ser desenvolvida na Universidade da Pensilvânia, Estados Unidos da América. Os investigadores acreditam que esta espécie de chiclete poderá reduzir a contaminação por tosse, espirros, falar ou até apenas respirar. 

Esta goma para mascar contém uma proteína que retém as partículas do vírus presentes na saliva, impedindo a sua propagação pelo ar. Segundo os cientistas, a proteína presente é uma cópia da ACE2, também encontrada na superfície das células que o vírus usa para as infetar. Nos testes experimentais, as partículas do agente infeccioso ficavam agarradas à pastilha elástica.

Segundo o jornal “The Mirror”, a carga viral presente na saliva após o uso da pastilha era muito menor (mais de 95 por cento menos) que a inicial. A equipa de investigadores afirmou que a mesma tem o sabor habitual da típica guloseima e pode ser guardada durante anos a temperaturas normais.

O uso desta pastilha elástica aumentaria o benefício oferecido pelas vacinas e seria particularmente útil em países onde as vacinas ainda não estão disponíveis ou são escassas. Ainda assim, os investigadores acreditam que a proteção desta goma de mascar pode durar mais tempo após a dose de reforço da vacina contra a Covid-19.

Em Portugal, a dose de reforço está a ser administrada a idosos com mais de 65 anos que tenham tomado a vacina há mais de 150 dias e aos homens com mais de 18 anos que tenham sido vacinados com a Janssen.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT