Saúde

Covid-19: reposta portuguesa aos desafios da pandemia foi “francamente má”

A crítica é do presidente da Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares (APAH), Alexandre Lourenço.
Não correu bem.

Foi a 2 de março de 2020 que Portugal confirmou os primeiros dois casos de Covid-19 no nosso País. Agora, no momento em que se assinala quase um ano da chegada da pandemia aos hospitais portugueses, muitos são os responsáveis que estão a fazer análises ao que foi feito — e ao que falhou ou ficou por fazer — durante estes 12 meses.

É o caso de Alexandre Lourenço. O presidente da Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares (APAH) diz, numa análise a este ano, que a resposta à pandemia em Portugal foi “francamente má”. Em declarações à “Lusa”, citadas pelo “Notícias ao Minuto”, este responsável diz que está na hora de repensar o modelo de organização do SNS.

“Basta comparar com outros países: a nossa taxa de mortalidade por covid-19 foi muito mais elevada e evidentemente que isto nos vai ter que fazer pensar e repensar todo o modelo de organização do sistema de saúde”, explica Alexandre Lourenço, sublinhando que, durante este período, aprendemos “muitas coisas” com a pandemia, mas muitas delas com “resultados negativos”, dando como exemplo a mortalidade excessiva.

Sobre este tema, o presidente da APAH diz que devem ser desenvolvidas medidas e “respostas capazes”. “Não basta dizer genericamente que são as ondas de calor ou as ondas de frio”, alerta numa referência às justificações do governo e da DGS.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT