Saúde

Covid-19: A terceira dose da vacina é mesmo “essencial” para os mais vulneráveis

Garantia foi dada pelo responsável da Organização Mundial de Saúde para a Europa, que deixou ainda elogios a Portugal.
Vacinação cá começou a 27 de dezembro.

Uma terceira dose da vacina contra a covid-19 é “essencial para garantir proteção aos mais vulneráveis”. No entanto, ainda não há evidência científica suficiente que leve a que seja preciso “generalizar”, para toda a população, uma terceira dose de reforço de vacinação contra a Covid-19.

É este o entendimento de Hans P. Klüge, o diretor-geral para a Europa da Organização Mundial de Saúde. Em declarações à Lusa proferidas esta segunda-feira, 18 de outubro, e citadas pelo “Notícias ao Minuto”, Hans P. Klüge deixou ainda elogios ao nosso País a propósito do processo de vacinação.

Recorde-se que Portugal foi o primeiro país a atingir os 85 por cento de população com a vacinação completa contra a Covid-19. Tal número foi atingido numa altura em que outros países já sentem uma estabilização no processo de vacinação, mesmo tendo uma percentagem menor de população vacinada.

“Em 35 dos 53 países” que integram a região Europa da OMS está-se “a assistir a uma estabilização da vacinação”, destacou o responsável. Já Portugal, “pelo contrário, está a fazer um ótimo trabalho”. O elogio foi proferido durante uma visita à Unidade de Saúde Familiar na Baixa, em Lisboa. “Para mim, é muito importante ir e ver com os meus próprios olhos”, afirmou.

“Temos de fazer tudo ao mesmo tempo: garantir que todos obtêm a primeira e a segunda doses e, entretanto, na região da Europa, dar a terceira dose às pessoas mais vulneráveis”.

Ainda sobre Portugal, Hans P. Klüge deixou palavras de elogio ao esforço do governo, e à ministra da Saúde, Marta Temido, em particular, mas também ao Serviço Nacional de Saúde. E lembrou ainda a importância de um sistema de cobertura de saúde universal para responder a um desafio como o da pandemia.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT