Saúde

Descobrimos o vibrador que promete um orgasmo em dois minutos — é um bestseller

Os brinquedos sexuais da Satisfyer são um sucesso mundial. Vários modelos esgotam vezes sem conta no site da marca.
O prazer é para todos.

Quando se trata de amor-próprio, o céu é o limite. Entre vibradores, dildos e outros brinquedos sexuais, o catálogo da Satisfyer é aquilo que podemos descrever como uma montra para o mundo encantado do prazer. Uma gama de produtos que encontrou na pandemia e nos confinamentos espaço para crescer. Sem tabus, a NiT foi saber junto da sexóloga Megwyn White, diretora de educação da marca, as razões por trás do fenómeno que a marca está a ser. 

Os brinquedos sexuais não são novidade. Reza a lenda que no século I um monge japonês ofereceu à amante um falo em madeira por não conseguir satisfazer os prazeres sexuais dela. Já no final do século XIX os vibradores manuais eram utilizados para curar a histeria das mulheres e promover o bem-estar feminino. Durante os anos 80 assistimos ao boom das sexshops e nos anos 2000 a série “O Sexo e a Cidade” trouxe o vibrador para cima da mesa e tornou-o tema de conversa. Este brinquedo sexual passou a ser sinónimo do empoderamento das mulheres em relação à sua sexualidade.

Atualmente, está a entrar em cena uma nova forma de utilização destes gadgets, com recurso a interações virtuais através de apps móveis que permitem sensações induzidas à distância, de intensidade programável e sincronizadas em tempo real. É o caso da Satisfyer Connect, uma aplicação gratuita que permite controlar a utilização dos seus produtos de bem-estar sexual a partir de qualquer parte do mundo.

Combinando inovação tecnológica e saúde sexual, a Satisfyer, fundada em 2016, dedica-se a criar produtos que proporcionem experiências prazerosas e multissensoriais aos consumidores. “É a marca deste segmento com o crescimento mais rápido em todo o mundo”. Está disponível em mais de 100 países com mais de 200 produtos.

A empresa defende que “todas as pessoas têm o direito de descobrir o seu potencial sexual e a alegria que este pode trazer, independentemente da sua preferência relativamente ao sexo, origem socioeconómica, idade, género, ou nível de aptidão“.

Megwyn vai mais longe e sublinha que “o importante são as pessoas, e sabemos que cada um tem os gostos e necessidades. A Satisfyer quer facilitar o acesso a produtos que satisfazem todas as necessidades e desejos — especialmente aqueles que não sabia que tinha.”

A sexóloga conta que a marca é “líder em muitos países com o vibrador Pro 2”, que promete proporcionar orgasmos em tempo recorde. Desde o seu lançamento em 2016, já venderam mais de 10 milhões do Satisfyer Pro 2. Em Espanha, onde têm loja física este modelo voou das prateleiras. Sempre que repunham esgotava.

O famoso amigo do sexo feminino.

Segundo a marca, este é diferente dos vibradores convencionais já que numa das extremidades tem uma pequena área de sucção, que permite estimular de forma mais intensa a parte visível do clitóris.

“Este brinquedo combina também a sucção com a vibração, o que faz com que as mulheres atinjam o orgasmo em dois minutos. Existem 11 velocidades e quanto mais veloz mais rapidamente se atinge o orgasmo”, garante a marca.

A superfície de contacto é em silicone, menos agressiva para a pele. Além disso tem uma bateria recarregável e é à prova de água e, por isso, pode ser usado no duche. No site oficial custa 59,98€.

Se pensa que os vibradores não um fenómeno exclusivamente feminino, desengane-se. A sexóloga considera que “a masturbação masculina com o recurso à mão é algo do século passado” e, por isso, também existe “todo um mundo de sex toys que garantem maior prazer” aos homens.

Sejam aparelhos pensados para o sexo feminino ou masculino, há sempre uma dúvida que permanece. A questão da higienização. Megwyn aconselha: “a limpar todos os brinquedos — antes e depois da sua utilização. As bactérias podem acumular-se em qualquer material e podem levar a doenças infeciosas”. Para isso pode usar um sabonete suave com água morna ou uma toalha de banho humedecida com sabão. “Se tiveram peças removíveis, não se esqueça de as lavar separadamente para ter a certeza de limpar todos os recantos”, lembra.

Na loja online da marca existem brinquedos para todos. Para eles, para elas e para casais. No caso dos casais, a NiT ficou curiosa se em caso de separação, como é que é suposto fazer a divisão deste bem. A sexóloga explicou que deve ser “uma questão de preferências pessoais” quem fica com o quê.

Se a compra foi feita a meias, deve existir uma “conversa aberta sobre o assunto — quer sintam que é apropriado continuar a utilizar o objeto de prazer por conta própria ou com alguém novo“. E dá um conselho final (sem esquecer a sua marca, claro): “como Satisfyer oferece uma gama diversificada de brinquedos a preços imbatíveis”, o melhor a fazer é “virar a página e iniciar um novo capítulo sobre sexo”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT