Saúde

Descubra a mezinha caseira (e muito barata) para evitar a azia e os enjoos na gravidez

A nutricionista Mariana Abecasis explicou à NiT o que está na origem destes sintomas tão recorrentes e como atenuá-los.
Fotografia: Ömürden Cengiz no Unsplash.

Gravidez não é doença, costuma dizer-se, mas nem por isso deixa de exigir alguns cuidados para que mãe e bebé possam vivê-la de forma tranquila e saudável. Com a felicidade que normalmente acompanha esta etapa, surgem uma série de dúvidas e receios sobre como lidar com todas as mudanças que implica a nível físico e emocional.

A nutricionista Mariana Abecasis, que em 2020, oito meses após ser mãe pela primeira vez, publicou “O Guia Prático da Gravidez Saudável”, explicou à NiT que a azia e os enjoos são as principais dificuldades que as grávidas enfrentam.

A azia é “um sintoma típico da gravidez”, começa por dizer. Isto porque, nesta fase, “as digestões dão-se de uma forma mais lenta e as hormonas provocam o relaxamento do esfíncter esofágico inferior, o que favorece o refluxo (subida) do suco gástrico e restos de alimentos, causando mau estar, sensação de queimadura e dor”, acrescentou.

“Com o avançar da gravidez e o crescimento do bebé, a azia tende a agravar-se devido à pressão intra-abdominal que empurra e comprime o estômago. Apesar de ser mais frequente no segundo e terceiro trimestres, algumas mulheres podem sentir este sintoma mais cedo”.

Para tentar escapar ao desconforto, a profissional dá algumas dicas. Uma delas é que a gestante “faça várias refeições mais leves ao longo do dia de forma a nunca ficar muitas horas com o estômago vazio. Períodos de jejum mais longos tendem a agravar a situação“, esclareceu.

“Mastigar bem os alimentos, o que favorece a digestão e o esvaziamento do estômago”; adotar uma boa postura e “não usar roupas apertadas, principalmente na zona da barriga e estômago”, são outras recomendações.

O que deve deixar fora do prato e do copo

As grávidas devem evitar comer algumas coisas para prevenir a azia, de “comidas picantes e mais condimentadas” a “gorduras, fritos e tudo o que tenha mais molho”, uma vez que “a gordura retarda a digestão” e faz com que a comida fique no órgão do aparelho digestivo durante um período maior.

Devem, ainda, manter-se longe de bebidas com gás e alcoólicas, sumos, “alimentos como mostarda, maionese e pimenta” e “excitantes como chocolate, chá preto ou verde e o café, que tendem a piorar o quadro clínico”, enumera. Opte por ingerir líquidos apenas 30 a 60 minutos após as refeições principais.

Hábitos que podem ajudar

Se “alimentos como maçã com casca, pão seco ou bolacha de água e sal contribuem, tendencialmente, para reduzir o desconforto”, “beber um copo de leite magro também pode ter um efeito calmante na azia e acalmar os sintomas nos momentos complicados”, avança a especialista em nutrição.

Existem dois ingredientes fáceis de comprar no supermercados que podem fazer maravilhas contra a azia e evitam a toma recorrente de antiácidos comprados na fármacia.

Beber um copo de água com umas gotas de vinagre de maçã ou uma colher de café de bicarbonato de sódio, que têm “um efeito alcalinizante no sistema digestivo, ou seja, ajudam a neutralizar o ácido do estômago, aliviando a sensação de ardor e queimadura provocados pela azia”, são outras sugestões da profissional. Ressalva, contudo, a importância de lembrar que nada seja “tomado nem usado de forma indiscriminada e livre, pois em excesso pode ser prejudicial à saúde”.

Para um sono mais tranquilo

Deitar-se logo depois de comer não é recomendado, revela Mariana Abecasis. O ideal será “permanecer sentada com as costas direitas, por pelo menos 30 minutos após o almoço ou o jantar” ou “levantar-se e fazer uma pequena caminhada”. As refeições devem ser feitas duas a três horas antes de dormir. Caso a fome aperte, “opte por alimentos sólidos em vez de líquidos”.

Em momentos de crises de azia, a profissional sugere que “procure dormir com a cabeça mais elevada”. Se possível, “levante a cabeceira da cama, até porque a posição horizontal favorece o refluxo”.

Carregue na galeria para conhecer algumas das receitas sugeridas no livro da nutricionista que podem ajudar a evitar a azia e os enjoos durante a gravidez.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT