Saúde

Durantes as férias devemos, ou não, manter a rotina dos miúdos?

Esta é umas das maiores preocupações dos pais nesta altura do ano. Uma especialista esclarece tudo à NiT.
As idades importam.

Depois de um ano inteiro de trabalho, de escola, testes e outras avaliações, chegámos às tão esperadas férias escolares. Os miúdos começam a deitar-se mais tarde, têm mais liberdade para brincar e descansar. Porém, a pergunta que muitos pais repetem é a mesma: “E agora, devo quebrar ou não a rotina?”. A pedopsiquiatra Rute Teiga explica à NiT o que é que se deve fazer nesta alturas.

Entre idas à praia, jantares e programas que se estendem mais do que o costume, é normal que a hora de dormir não seja rigorosamente cumprida. E está tudo bem, caso os miúdos tenham mais de três anos. No entanto, a especialista da CUF Porto alerta: “Pode haver maior flexibilização das rotinas e horários nas férias, mas é importante avaliar a forma como a criança reage às novas rotinas”. O humor é altamente influenciado pelas mudanças de quotidiano.

“Se a criança está tranquila e bem-disposta ou se está irritada, sonolenta, cansada o melhor é repensar nos horários e estrutura do dia-a-dia”. Em muitos casos, as mudanças nas rotinas podem ser negativas para alguns miúdos, sendo um fator de agravamento de problemas emocionais e comportamentais, como é o caso de birras.

Porém, como lembra Rute Teiga, “em crianças mais pequenas é importante que os pais façam um esforço para manterem um horário consistente de alimentação e do sono pois são fatores que influenciam o bem-estar infantil”. E acrescenta: “Neste caso, as rotinas representam estabilidade, segurança, permite-lhes saber o que esperar do seu dia-a-dia e o que é esperado delas, o que diminui o seu stress e a ansiedade”.

E os sonos, podem ser alterados?

Nas férias é importante tentar manter a consistência da hora em que se deitam para dormir. Uma rotina consistente de sono manterá o ritmo corporal, facilita a hora de adormecer e reduz a probabilidade da criança ficar demasiado cansada, irritada e com as alterações comportamentais inerentes a esta situação. De acordo com a Academia Americana da Medicina do Sono, os tempos de sono ajustados às necessidades das crianças são: até aos dois anos de idade, devem dormir entre 11 a 14 horas (incluindo sestas); em idade pré-escolar, dormem cerca de 10 a 13 horas (incluindo sestas); e dos 6 aos 12 anos, necessitam de 9 a 12 horas por noite.

Em suma, segundo a observação da especialista em psiquiatria infantil, a rotina de férias traz inúmeros benefícios e permite aproveitar com qualidade o tempo livre, facilitando depois a transição de volta à rotina escolar. Neste sentido, a pedopsiquiatra alerta para a importância de, pelo menos duas semanas antes de iniciar a escola, retomem progressivamente os horários do período escolar, “principalmente ao nível do sono, para a criança estar bem-disposta e alerta durante o dia”.

A especialista deixou algumas estratégias que os pais podem adotar durante as férias para ajudar na hora de dormir. Carregue na galeria para as conhecer.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT