Saúde

É o futuro da medicina? Cientistas conseguem ressuscitar órgãos em porcos mortos

A investigação reverteu a morte das células em vários órgãos. Os especialistas falam na atualização da definição de morte.
O fenómeno aconteceu uma hora após a sua morte.

A morte é inevitável, porém, durante algumas horas, uma equipa de cientistas da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, conseguiu contorná-la. Os investigadores anunciaram esta quarta-feira, dia 3 de agosto, que conseguiram restaurar a atividade das células em órgãos vitais de vários porcos. Uma hora após a morte dos suínos, voltaram a reagir.

Em 2019, o mesmo grupo realizou uma investigação onde revelou que era possível recuperar funções do cérebro de um porco abatido. Quatro anos depois, de acordo com o jornal “El País”, repetiram o processo com todos os órgãos vitais do animal.

Ao injetarem um líquido sintético que contém o próprio sangue dos porcos, um tipo sintético de hemoglobina — a proteína que transporta oxigénio nos glóbulos vermelhos — e uma dezena de medicamentos que protegem as células, o sangue voltou a circular.

“Essas células estavam a funcionar horas depois do que, supostamente, deveriam. O que isso nos diz é que a morte das células pode ser interrompida”, explica Nenad Sestan, investigador na Universidade de Yale.

“Basicamente, as nossas descobertas salientam uma capacidade anteriormente negligenciada do corpo dos mamíferos em recuperar após a interrupção do fluxo sanguíneo”, afirmou outro dos cientistas. “E isto poderia ser utilizado para aumentar a disponibilidade de órgãos para transplante ou para tratar a falência localizada de órgãos”.

Embora se acredite que este passo possa representar um novo caminho para o transplante de órgãos no ser humano, há muitas questões em debate, tal como a forma como a medicina define a morte. Ainda assim, a investigação está numa fase inicial.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT